Mulher que encomendou criança arrancada da barriga da mãe diz que não queria dar golpe em garimpeiro: ‘Só queria o bebê’

Cátia Barros Rabelo, suspeita de ajudar a arrancar um menino de dentro da barriga da mãe, conversou com a imprensa nesta quinta-feira (21) e confessou sua participação no crime em Porto Velho. Na ocasião, a mulher de 34 anos negou ter planejado dar o golpe da barriga em um garimpeiro: “Eu só queria a criança”, diz.

A entrevista de Cátia aconteceu na delegacia de Homicídios de Porto Velho. Aos jornalistas, a suspeita afirma estar arrependida de sequestrar o bebê e de ter participado do assassinato de Fabiana Pires Batista e do outro filho dela, Gustavo Henrique, de 7 anos.

“Eu só quero dizer que estou arrependida de tudo que aconteceu, não era pra eu ter deixado nada acontecer e eu deixei”, afirmo.

Cátia está presa desde 23 de outubro e inicialmente a polícia disse que a suspeita teria arquitetado o plano, junto com os próprios filhos, pois fingia uma gravidez e queria dar o golpe da barriga em um garimpeiro.

“Eu planejei um mês antes arrancar o bebê da barriga da Fabiana. Mas não planejei golpe nenhum. Eu só queria o bebê mesmo”, relatou Cátia nesta quinta-feira.

Questionada quem teria planejado o crime, Cátia afirma que a ideia foi da própria irmã de Fabiana, uma adolescente de 13 anos. “Eu não denunciei ela antes do crime, pois acreditava que ela não teria coragem de por o plano em prática”, afirma.

Os filhos de Cátia também são suspeitos de ajudar no crime brutal. No dia em que Fabiana e Gustavo foram mortos, Cátia contou que não fez nada para impedir a morte de mãe e filho.

“Eu não intervi, fiquei só olhando tudo acontecer”, conta.

Reinterrogada

Cátia foi levada à Delegacia de Homicídios nesta quinta-feira para ser reinterrogada, segundo informou a delegada Leisaloma Carvalho.

“Hoje ela foi reinterrogada e confessou o envolvimento no crime, diferentemente do que ela comentou na primeira vez. Ela deu maiores detalhes. Informou o envolvimento de todos os filhos, de forma direta e indireta no fato”, conta a delegada que conduz as investigações.

De acordo com a delegada, Cátia se diz arrependida e que o crime foi planejado cerca de um mês antes do ocorrido.

Ponto a ponto do plano:

“A Fabiana realmente foi atraída até o local dos fatos e foi morta pelos adolescentes. Lá foi retirado o bebê da barriga. Ela recebeu aquela criança logo depois na residência dela e levou a criança até um garimpeiro, dois dias depois do crime. Ele não aceitou e a mandou embora. Então ela deixou a criança com o filho e fugiu”, diz Leisaloma .

“Ela foi presa. Ela viu os filhos sendo presos. Ela viu que os fatos se fecharam. O quebra-cabeça foi se formando e ela viu que não tinha outra alternativa se não confessar”.

Grupo de suspeitos

A Polícia Civil diz que oito pessoas são suspeitas de envolvimento no crime, sendo seis adolescentes e dois maiores de idade.

Grupo de suspeitos

A Polícia Civil diz que oito pessoas são suspeitas de envolvimento no crime, sendo seis adolescentes e dois maiores de idade.

Mario Barros do Nascimento foi preso por ajudar a mãe no crime — Foto: WhatsApp/Reprodução

Mario Barros do Nascimento foi preso por ajudar a mãe no crime — Foto: WhatsApp/Reprodução

Um dos presos é Mario Barros do Nascimento, de 18 anos. Ele é filho de Cátia Barros Rabelo. Ele foi preso no último dia 12 de novembro.

Alta do hospital

O bebê arrancado da barriga de Fabiana, em 21 de outubro, recebeu alta do Hospital de Base na última semana em Porto Velho. O menino estava no oitavo mês de gestação quando foi arrancado com uma faca da barriga da mãe.

Fonte: G1

Facebook Comments