MPF recomenda à Agência de Mineração e ao MME que aumentem número de funcionários em Rondônia

Recomendação é feita porque o quadro atual de servidores é insuficiente

Em Rondônia, a Agência Nacional de Mineração (ANM, que antes se chamava DNPM) conta com quadro insuficiente de servidores para fazer pesquisa, controle e fiscalização de atividades de mineração. Por esta razão, o Ministério Público Federal recomendou à ANM e ao Ministério de Minas e Energia (MME) a contratação de mais funcionários.

Desde 2011, a ANM em Rondônia já sofreu a perda de pelo menos 15 funcionários, devido a transferências, exonerações, demissões e por aposentadoria. Atualmente, a autarquia federal conta com nove servidores. A contratação de mais funcionários pode ser feita por concurso público ou apenas pela cedência de servidores lotados em outros órgãos públicos.

A superintendência está enfrentando sérias dificuldades orçamentárias e operacionais. Necessita de realização de serviços de manutenção, quase não ocorridos nos últimos 20 anos. O local é de importância estratégica para a região Norte, tendo em vista que abriga bens minerais apreendidos no estado, e nele tramitam cerca de cinco mil processos minerários ativos e mais de 12 mil inativos, além de processos administrativos.

O MPF também recomendou que a ANM e o MME façam reparos e manutenção nas instalações, suprimento de material, contratação de serviços essenciais e outros. A ANM e o MME têm prazo de 15 dias úteis para informar se vão acatar a recomendação. Caso não acatem, o MPF poderá adotar outras providências judiciais ou extrajudiciais.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Rondônia

Facebook Comments

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password