Morre Chagas Pereira, aos 65 anos após doenças agravadas pela Covid-19

Mais um jornalista que se vai pela Covid-19

Na noite de ontem (14), faleceu o jornalista e editor de política do Diário da Amazônia, Chagas Pereira, de 65 anos por complicações da Covid-19. Chagas Pereira estava internado a 32 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O jornalista apresentou sintomas do vírus no dia 7 de janeiro e imediatamente buscou tratamento. Foi internado no hospital de campanha, em  Porto Velho, no dia 12/01, com complicações respiratórias.

Na madrugada de segunda-feira (15), a filha do jornalista Darlene Pereira lamentou a morte do pai através das redes sociais.

“Agradecemos todas as orações e carinho durante esses 32 dias que ele (Chagas) esteve internado na UTI. Infelizmente papai veio a óbito nesta noite de 14 de fevereiro”, lamentou.

O cortejo do jornalista Chagas Pereira acontecerá nesta manhã (15), às 8h na Funerária São Cristóvão (Av. Jorge Teixeira, próximo a Havan) em direção direção ao cemitério Santo Antônio.

TRAJETÓRIA

Atualmente Chagas Pereira era editor de política e economia no jornal Diário da Amazônia, onde trabalha a cerca de cinco anos. Para os colegas de trabalho, como profissional ele sempre foi muito competente na capacidade de produção e na contribuição de soluções. “Como colega de trabalho os elogios são de uma pessoa ética, alegre e acolhedora que procurava desenvolver bem sua função além de contribuir com o bem-estar dos colegas”, destacou o jornalista Solano Ferreira.
Iniciou na carreira de comunicador como radialista e depois passou a atuar também em jornalismo. Já exerceu funções de Jornalista, Analista em Marketing Estratégico, Gestão Motivacional e Palestrante. Por 14 anos atuou em diversas funções no jornal O Estadão do Norte, onde também foi editor.

Autor de vários artigos e editoriais sempre buscou mostrar o bom sentido da vida em seus escritos e em suas palestras. Como pensador e poeta foi autor de frases como: “A partir do momento que me considero superior aos outros, simplesmente deixo de existir”; “A humildade é capaz de transformar vidas, desde que haja disponibilidade para assimilar os benefícios desta que é uma das mais importantes virtudes do ser humano”; e, “Sorrir faz bem à saúde e à alma. Mas nem todas as pessoas conhecem a verdadeira arte de sorrir.”

Em uma de suas palestras motivacionais, proferida numa universidade privada de Porto Velho, ele afirmou: “A motivação é o manifestar do estado interior que nos estimula a alcançar os nossos objetivos, e isso é determinante para que sejamos diferentes e façamos a diferença como cidadãos, como profissionais e como cristãos. A motivação nos faz chegar a lugares onde jamais pensamos que conseguiríamos chegar”, disse o palestrante.

Fonte: Diário da Amazônia

Facebook Comments