Chiquinho se juntou à Marilda, falecida no dia 7 de abril. Foto de álbum de casamento.

Porto Velho- Os últimos momentos de vida de Francisco da Silva Moraes, o Chiquinho, foram dramáticos, contou o médico Felipe Bernardelli, da Santa Casa de Misericórdia de Jacarezinho (PR). A terça-feira, 4, foi tensa. Chiquinho relutava a ser intubado, pois temia pela morte. Mas, o médico ponderava que se não intubasse logo a morte também seria inevitável. A família foi consultada várias vezes e autorizado o procedimento.

Segundo o médico, quando agravou a situação, o próprio Chiquinho autorizou o procedimento e ele foi intubado ao meio dia da terça-feira. Caroline, a filha, esteve na tarde desta quarta-feira com o médico, após o sepultamento do pai pela manhã.

“Ele chegou a ser intubado ontem por volta do meio dia. Ele mesmo autorizou porque a saturação dele tinha caído pra 50%”, disse Caroline. “Não tiveram outra alternativa e ele concordou”, completou.

Durante o procedimento, porém, o paciente teve uma parada cardíaca. “Tentaram ressuscitar ele inúmeras vezes”, contou. Chiquinho tinha problemas cardíacos. Ano passado passou por uma delicada cirurgia de cateterismo em Porto Velho.

Após constatar o óbito, Caroline foi chamada ao hospital. “Eu vi o semblante dele. Parecia estar bem tranquilo depois de falecido. Parecia estar dormindo”, contou ela.

Devido às circunstâncias ele foi sepultado em uma cova comum, mas a família vai mudar o local, para um lugar mais apropriado.

Quando viajou para Jacarezinho em 12 abril, para amparar os filhos e neto devido ao falecimento da mãe deles (Marilda Orlandini), Chiquinho estava disposto a não mais retornar para Porto Velho. Ia morar definitivamente com os filhos no Paraná.

Hildon Chaves

Nas redes sociais, o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB), lamentou a morte de Chiquinho.

Vivemos tempos muito difíceis!
Recebemos em menos de 24h, notícias que não gostaríamos de ouvir, a perda de dois grandes servidores da Prefeitura: Francisco Moraes e Cléo Subtil.
Ambos trabalhavam no gabinete e desempenhavam com amor suas funções.
Eram duas pessoas muito queridas e que infelizmente, também foram vítimas da COVID-19. Iedachaves e eu, lamentamos profundamente e rogamos a Deus pelo conforto e amparo necessário às famílias. O vírus está cada dia mais próximo e levando diariamente mais pessoas. Ele não escolhe por raça, por credo. Não existe mais grupo de risco. Ele apenas leva! Continuem se cuidando, se protegendo. Que Deus conforte todos corações e proteja a todos nós!
Confúcio Moura
O senador Confúcio Moura (MDB-RO) emitiu nota de pesar: “Eu lamento profundamente a morte do Francisco da Silva Moraes, irmão do jornalista Roberto Kupê, ocorrida em razão de complicações causadas pela Covid-19 na noite desta terça-feira (04-05), em Jacarezinho Paraná. Desejo conforto aos familiares e amigos. Neste momento de grande dor, minhas sinceras condolências”.
Facebook Comments