Marcos Rogério vai para onde Bolsonaro for e esvaziará União Brasil de RO

BRASÍLIA- Quem achou que, com o anúncio de que o governador de Rondônia, Marcos Rocha (PSL-RO), vai presidir o União Brasil no estado, poderia ter decretado o fim das pretensões do senador Marcos Rogério (DEM-RO), está redondamente enganado. O senador bolsonarista não deverá permanecer na nova sigla (UB) por muito tempo. Segundo fontes, ele estaria apenas esperando a decisão do presidente Bolsonaro para decidir o futuro político dele também. Assim que Bolsonaro se filiar a um partido, muitos parlamentares do DEM e do próprio PSL vão deixar os respectivos partidos para seguir o presidente. Marcos Rogério apostou todas as fichas em Bolsonaro e, a esta altura do campeonato, será difícil desvincular a imagem dele da do presidente.

De Rondônia, com certeza, devem deixar o União Brasil o senador Marcos Rogério e o deputado federal coronel Crisóstomo (inimigo político de Marcos Rocha), além de deputados estaduais, prefeitos e vereadores. Além da debandada, Marcos Rocha não poderá usar o nome de Bolsonaro, pois o União Brasil terá candidatura própria para presidente. Marcos Rocha que, aparentemente se saiu vencedor na disputa pela presidência do União Brasil, não vai poder apoiar o presidente da República. Não por enquanto. Bolsonaro está procurando desesperadamente um partido para chamar de seu. O PTB já fez declarações de amor, oferecendo o partido sem contrapartidas.

O União Brasil que se formou por discordar das políticas econômicas e sanitárias de  Bolsonaro, vai tentar lançar uma “terceira via”, porém, segundo pesquisas, estará longe de prosperar. Com isso, fatalmente, o UB deverá ter que optar entre Bolsonaro e Lula num eventual segundo turno das eleições de 2022. Como se percebe, o União Brasil já nasce rachado.

Por Mais Rondônia

Facebook Comments