Governador Confúcio Moura (centro) dando atenção às vítimas

 

Governador Confúcio Moura (centro) dando atenção às vítimas
Governador Confúcio Moura (centro) dando atenção às vítimas

O governador Confúcio Moura apresentará no início da próxima semana, à presidente Dilma Rousseff, um minucioso relatório do efeito da enchente do rio Madeira. O documento apontará os pontos que carecem de recursos imediatos, além de obras para a fase de reconstrução, como a elevação da BR 364. Confúcio também sobrevoou as áreas ribeirinhas alagadas, onde conversou com moradores e visitou o Navio Hospital da Marinha, que está atracado no porto organizado da capital. “Nossa maior preocupação é com a situação das rodovias, resumiu o governador sobre a situação atual dos municípios inundados. Ele destacou que a atuação da Defesa Civil Estadual foi perfeita ao recolher e assistir as famílias desabrigadas.

 

GOVDF2Ao sobrevoar de helicóptero a região do baixo Madeira, juntamente com o coronel bombeiro Lioberto Caetano, coordenador estadual da Defesa Civil, o governador avistou áreas em que quase não é mais possível distinguir o rio, os igarapés e lagos, que se fundiram na inundação.

 

GOVDF3O coronel Caetano explicou que em alguns locais, como a região de Ponta do Abunã, a água chega a avançar até cinco quilômetros sobre as margens do rio. Também foram visualizadas plantações inteiras que estão submersas e pequenas propriedades em que os animais estão mortos ou ilhados.

O coronel Caetano informou também ao governador que na localidade denominada Demarcação, uma comunidade inteira se recusa a deixar as casas, apesar da ameaça de inundação. Neste caso, a Defesa Civil Estadual providenciou um gerador de energia e barracas, que serão instalados num ponto elevado e para onde os moradores irão se as propriedades forem atingidas.

Nazaré

No distrito de Nazaré, a aeronave fez um pouso para que o governador Confúcio conhecesse de perto as ações realizadas pela Defesa Civil Estadual. Na escola local, ele conversou com as famílias para saber como é o tratamento recebido.

O funcionário público Emanuel Ferreira Câmara está há cinco meses no distrito e trabalha como inspetor de pátio, mas já se sente comprometido com a população. Ele coordena as atividades com os abrigados. Segundo Emanuel, há atualmente 25 famílias no prédio, mas este número deve crescer nos próximos dias, na medida em que outras comunidades forem afetadas. “Acredito que logo teremos por aqui outras 40 famílias, pois elas não têm energia elétrica e enfrentar a enchente e a escuridão não combinam.

O morador Assis Tavares está abrigado com a família na escola e diz que a assistência é correta e nada falta. Apesar disto, tem uma preocupação: “meu pai mora numa área alta, mas o desbarrancamento por lá é impressionante”.

Providências

O governador Confúcio Moura disse que o ministro chefe da Casa Civil da Presidência da República, Aluísio Mercadante, telefonou para saber como a enfrente está sendo enfrentada e revelou que a presidente Dilma Rousseff está sendo informada sobre os efeitos do fenômeno. O governador levará um relatório com as demandas surgidas em decorrência das enchentes ao ministro e à presidente.

 

O governador visitou, ao meio-dia, o Navio Hospital da Marinha, que está ancorado no porto organizado da capital. Ele foi recepcionado pelo capitão de corveta Leonel de Pádua, que apresentou as instalações e informou quais são os serviços médicos oferecidos. Pádua explicou que o corpo médico é composto por três médicos, três odontólogos e seis enfermeiros. Todos fazem parte da tripulação de 50 pessoas. “Gostaríamos de atender mais”, disse o comandante do navio. O atendimento é iniciado na triagem realizada pelos órgãos de saúde que fazem parte da Defesa Civil Estadual. O navio tem laboratório e estrutura para realizar pequenas cirurgias.

Texto: Nonato Cruz

Fotos: Marcos Freire
Decom – Governo de Rondônia

Facebook Comments