O Programa Escola do Novo Tempo está fechando o ano letivo de 2019, com atendimentos acumulativos de nove mil alunos na Capital e interior, desde se sua implantação, em 2017 no Estado de Rondônia, com uma estratégia renovada de ensino de caráter integral, que dá oportunidade para jovens de comunidades carentes, com histórico de abandono do ensino e vulnerabilidade social, encontrarem motivação para continuar estudando.

De acordo com a técnica Adriana Nobre, do Núcleo de Educação Integral da Secretaria de Estado da Educação de Rondônia (Seduc), a Escola do Novo Tempo é um programa do Ministério da Educação (MEC), criado para atender a demanda pela educação integral, que se firma não apenas no ensino, mas também num projeto de vida capaz de orientar milhares de jovens do País, entre eles os de famílias carentes, em condições de vulnerabilidade social e os alunos com histórico de evasão escolar na caderneta.

A técnica explicou que até 2019 o programa em Rondônia integrou 11 escolas, que atenderam nove mil alunos em tempo integral, com ensino diferenciado, alimentação adequada e respeito, o que garantiu a presença de quase todos os matriculados nas escolas.

De acordo com o secretário de Estado da Educação, Suamy Vivecananda Lacerda Abreu, este é o objetivo do Programa, que para 2020 integrará mais seis escolas da Capital e Interior com a mesma estratégia de preencher o tempo dos estudantes com atividades de ensino (preparação para a vida) e lazer, de modo a eliminar a necessidade de eles irem para as ruas pela sobrevivência, submetendo-se a todo tipo de exploração.

O secretário Suamy Vivecananda, disse ainda que para o próximo ano (2020), o programa está sendo ampliado para atender mais alunos, mas com a orientação do MEC, com atendimento gradativo, iniciando só como o 1º ano em 2020 e 2021; 1º e 2º anos em 2022 e fechando o ciclo com todas as séries em 2023, de modo a estruturar a demanda e prestar um atendimento educacional com mais planejamento e dirigido adequadamente a cada grupo de estudantes. “Estamos observando as necessidades, nossa meta é aumentar para dez o número de escolas com atendimento em tempo integral, para isso estamos trabalhando com as equipes técnicas para alcançar os objetivos”, ressaltou.

O secretário pontuou a importância da orientação e o alcance dos atos de gestão do governador Marcos Rocha, quanto a adoção de programa educacionais que deem prioridade ao ensino para a vida, dando oportunidade aos jovens rondonienses de se prepararem como profissionais e como cidadãos. Neste ponto, ele explicou que o MEC tem programas e projetos importantes, e que o Estado de Rondônia tem postulado e se candidatado a eles, aproveitando todas as oportunidades de melhorar seus níveis educacionais, já estabelecendo a meta de atender 20% das escolas da rede estadual com o ensino integral.

NOVE MIL ALUNOS ATENDIDOS

Importa destacar que os nove mil alunos atendidos até este ano passaram pelas 11 Escolas Estaduais de Ensino Médio em Tempo Integral (EEEMTI) Simon Bolívar CRE Guajará Mirim, Brasília CRE Porto Velho, Heitor Villa Lobos CRE Ariquemes, Capitão Silvio de Farias CRE Jaru, Professor Alejandro Yague Mayor CRE Ji-Paraná, Josino Brito CRE Cacoal, Cândido Portinari CRE Rolim de Moura, Juscelino Kubitschek de Oliveira CRE Alta Floresta do Oeste, 7 de Setembro CRE Espigão do Oeste, Marechal Cordeiro de Farias CRE Pimenta Bueno, e Marechal Rondon CRE Vilhena.

Esta relação de escolas aumentará em 2020, com a adesão de mais seis unidades estaduais de educação, a começar pela Escola Professora Carmem Ione de Araújo CRE Ariquemes, Marechal Rondon CRE Buritis, Clodoaldo Nunes de Almeida CRE Cacoal, Jovem Vilela CRE Ji-Paraná, 4 de Janeiro CRE Porto Velho e Tancredo de Almeida Neves CRE Rolim de Moura, que com a nova concepção do ensino gradual, atenderão juntas pouco mais de 700 alunos do primeiro ano.

Para o estudante Jonas Danilo Fielho Cavacante, do 2° ano do ensino médio da Escola Brasília do Novo Tempo em Porto Velho, o modelo da escola de ensino integral, tem mudado a sua vida com as disciplinas diversificadas que está estudando. “A matéria de Projeto de Vida me ajudou muito, aprendi sobre valores e ter alto conhecimento e descobri o talento para psicologia, e vou batalhar para me graduar e ser um excelente profissional”, disse o estudante.

Para a Barbará Rangel, que é mãe de um estudante da Escola Major Gapindaia, em Porto Velho, o Programa Escola do Novo Tempo é uma excelente opção para os alunos, pois vai ajudar ainda mais os estudantes com o planejamento de vida e melhorar a educação deles. “Eu vejo este programa como uma grande ajuda para dos nossos filhos, pois além da educação que damos em casa para eles, a escola também vai orientá-los para uma vida melhor”, disse a mãe do estudante.

De acordo como secretário Suamy Vivecananda, o Governo de Rondônia tem objetivos nobres para a educação, e as define como meta para os próximos anos, atendendo a sua própria política de educação para o ensino médio. “Pensamos nas melhores estratégias para reduzir ao máximo a evasão escolar, ao mesmo tempo em que se renova em esforços para formar estudantes autônomos, solidários e competentes, com excelência acadêmica e postura cidadã, homens de bem”, define o secretário.

Fonte: Secom

Facebook Comments