O apresentador Luciano Huck publicou, nesta sexta-feira (7/8), um vídeo no qual surgiu conversando com o motoboy Matheus Pires, que foi humilhado e sofreu ofensas racistas de um homem branco em Valinhos, no interior de São Paulo.

No diálogo, Luciano prometeu que daria uma moto ao entregador de aplicativo. “Vergonha, tristeza e revolta. Foi o que senti quando recebi este vídeo. Nele está tudo contra o que lutamos. Matheus Pires foi corajoso e não baixou a cabeça pro preconceito”, disse Luciano.

“Temos de nos unir à luta de Matheus para mudar o Brasil. Este vídeo é revoltante. É um dever como cidadão denunciá-lo”, declarou ainda o apresentador.

No bate-papo, Matheus contou que estava usando a moto do pai quando foi realizar uma entrega porque a dele havia pifado. Diante disso, Luciano afirmou: “A moto que fundiu o motor… conta comigo!”.

Entenda

O contabilista Mateus Abreu Almeida Prado Couto foi filmado ofendendo o motoboy Matheus Pires no último dia 31 de julho, em um condomínio de luxo de Valinhos (SP).

O agressor, de camiseta azul, humilha Matheus Pires ao chamá-lo de semianalfabeto e lixo. Branco, o homem alega também que o jovem tem inveja das casas do condomínio e da cor de pele dele.

“Você nem tem onde morar. Você tem inveja disso daqui. Eu pedi para ele [Matheus Pires] sair fora daqui, e não saiu fora. Moleque, moleque, você tem inveja disso daqui, você tem inveja dessas famílias aqui”, diz o homem, ao apontar para as casas do condomínio e, em seguida, para o antebraço, indicando a cor da pele.

O entregador, que usava máscara facial — ao contrário do agressor —, responde: “Eu posso ter a mesma coisa que o senhor. Quem te deu isso daqui? Foi seu pai?”. Em seguida, o homem de camiseta azul aumenta o tom de voz: “Você nunca vai ter” e chama Matheus de semianalfabeto e mentiroso.

Metrópoles apurou que a ocorrência começou após Matheus comentar com o homem de camisa azul que alguns motoboys reclamam da maneira hostil como são tratados toda vez que vão até a residência para fazer qualquer tipo de entrega.

O caso foi registrado pela Guarda Municipal de Valinhos e, segundo apurado pelo Metrópoles, o homem de camiseta azul foi conduzido para a Polícia Civil de São Paulo (PCSP). Ela foi indiciado criminalmente por injúria. Procurada, a Secretaria de Segurança Pública (SSPSP) ainda não se manifestou sobre o assunto.

Fonte: Metropoles

Facebook Comments