Jornalista americano revelou 25 correspondências trocadas entre os dois líderes. Em uma delas, Kim fala em amizade com ‘força mágica’.

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, usou tom bajulador em cartas enviadas ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enquanto procurava estreitar o contato com o governo americano, segundo o livro “Rage”, do jornalista Bob Woodward.

O jornalista do “The Washington Post” revelou 25 cartas trocadas entre os dois líderes, nas quais Kim usa palavras exageradas para elogiar Trump, enquanto os dois estabeleciam uma amizade incomum.

A relação entre os dois governantes passou dos insultos mútuos e ameaças de guerra a um acordo, atualmente estagnado, sobre o desmantelamento da produção nuclear norte-coreana.

Dirigindo-se a Trump como “Sua Excelência”, as cartas de Kim estão repletas de comentários pessoais, de acordo com as transcrições do livro apresentadas pelo canal CNN.

Foto de arquivo mostra Kim Jong-un e Donald Trump se cumprimentando durante reunião em Singapura — Foto: Kevin Lim/The Straits Times via AP

“Mesmo agora, não posso esquecer o momento da história quando apertei com firmeza a mão de Sua Excelência no belo e sagrado local, enquanto o mundo inteiro observava com grande interesse e esperança”, escreveu Kim a Trump no dia de Natal de 2018, após a cúpula de Singapura.

Mesmo depois do fracasso da segunda reunião em Hanói (Vietnã), Kim descreveu o encontro de Singapura como “um momento de glória que permanece como uma recordação preciosa”.

“Também acredito que a profunda e especial amizade entre nós funcionará como uma força mágica”, escreveu Kim em uma correspondência de junho de 2019.

Três semanas mais tarde, os dois se reuniram em um encontro planejado com pouca antecedência na Zona Desmilitarizada que divide a península da Coreia.

Antes do encontro, Trump escreveu ao norte-coreano que eles compartilhavam um “estilo único e uma amizade especial”.

“Apenas você e eu, trabalhando juntos, podemos resolver os problemas entre nossos dois países e terminar com quase 70 anos de hostilidade. Será histórico”, escreveu Trump.

Mas os esforços para a desnuclearização da Coreia do Norte não apresentaram resultados após a reunião de Singapura. Comandantes do serviço de Inteligência dos Estados Unidos advertiram que é pouco provável que Pyongyang entregue suas armas nucleares em algum momento.

Fonte: G1

Por France Presse

Facebook Comments