O prefeito de Ji-Paraná, Isaú Fonseca (MDB), tornou-se novamente foco dos noticiários de forma negativa: a Justiça determinou o bloqueio mensal de 30% de seu salário liquido.

A determinação veio do juiz da 5º Vara Civil de Ji-Paraná, Marcos Alberto Oldakowsk, após constatar que Isaú deve R$ 77.247,24 por conta de uma indenização de danos morais à médica ji-paranaense Gilka Lamego.

Isaú foi condenado no período em que foi presidente da Câmara de Vereadores de Ji-Paraná e Gilka a médica da Casa.

Isaú já havia sido condenado anteriormente por improbidade administrativa quando era vereador. Em 2015 ele teve os direitos políticos suspensos ao “se utilizar do erário do município de Ji-Paraná para promoção pessoal em campanha eleitoral”, segundo o TJ-RO.

Na época ele foi acusado de criar um programa social de pavimentação de ruas visando a sua reeleição. A 1ª Câmara Especial do Tribunal de Justiça informou que haviam fortes indícios que o acusado, em reunião com moradores, se apresentava aos eleitores como o responsável pela execução das obras, sendo que os insumos, como bloquetes e maquinários, eram custeados pela Prefeitura de Ji-Paraná.

 

Facebook Comments