Nesta sexta-feira (10/01/2020), Juliana Paes se posicionou contra o goleiro Bruno. A atriz disse ter ficado inspirada pelo discurso de Jéssica Senra, que criticou o Fluminense de Feira por querer trabalhar com o atleta.

No Instagram, Juliana lançou a hashtag #meuídolonãoéfeminicida. “Nessa segunda-feira, Jéssica Senra me surpreendeu e me comoveu com a sua coragem, ousadia e inteligência ao defender seu posicionamento contra um clube de futebol que desejava contratar o goleiro Bruno, condenado por um crime bárbaro de assassinato à mãe de seu filho“, escreveu.

A atriz ainda ressaltou porque a questão é importante para ela. “Como mulher e defensora da causa da violência contra a mulher, queria dizer que estou muito orgulhosa de você, Jéssica. E queria convidar todos meus seguidores, pessoas e marcas, a verem o vídeo completo do seu discurso e compartilharem uma foto nos seus perfis com a hastag #meuídolonãoéfeminicida para que mais pessoas vejam dessa história”, pediu.

No fim da postagem, a artista marcou colegas, como Deborah Secco, Sabrina Sato e Agatha Moreira. “Maravilhosa! Parabéns pela postura”, aplaudiu uma seguidora. “Juntas somos mais fortes”, comentou outra. “Eu já tinha visto! Achei o máximo! Perfeita a colocação dela”, respondeu uma terceira.

Relembre o caso

Eliza Silva Samudio desapareceu em 2010, com 25 anos. Eliza era amante do goleiro Bruno Fernandes, do Flamengo, apontado como autor do crime, e teria aceitado um convite do jogador para ir do Rio de Janeiro até Minas Gerais visitar um sítio. Nunca mais foi vista em público.

Bruno foi preso e condenado a 22 anos e 3 meses por assassinato e ocultação de cadáver (e também pelo sequestro do filho Bruninho, que teve com Eliza). Outros condenados por participação no crime foram Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola; Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada de Bruno; Wemerson Marques, o Coxinha; Elenilson da Silva; e Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão.

Confira o discurso de Jéssica Senra:

Fonte: Metrópoles

Facebook Comments