Nicinha foi brutalmente assassinada na região da usina de Jirau
A militante Nicinha lutava contra as hidrelétricas do Rio Madeira e foi morta em janeiro deste ano FOTO: DIVULGAÇÃO
A militante Nicinha lutava contra as hidrelétricas do Rio Madeira e foi morta em janeiro deste ano
FOTO: DIVULGAÇÃO

Por decisão da Primeira Vara do Tribunal do Júri da comarca de Porto Velho, o julgamento de dois acusados de matar Nilce de Souza Magalhães, mais conhecida como Nicinha, terá nova data. A juíza de Direito Kerley de Arruda Alcantara deterninou a redesignacao da sessão do júri a pedido da defesa, pois um exame pericial foi juntado ao processo fora do prazo estabelecido em lei, o que poderia dificultar o julgamento pelos jurados ou até ocasionar uma decisão injusta.

Edione Pessoa da Silva, suspeito
Edione Pessoa da Silva, suspeito

Os réus Edione Pessoa da Silva e Leonardo Batista da Silva permanecem presos. O primeiro réu confessou o homicídio e a ocultação do cadáver de Nicinha, que foi encontrado no rio meses após o crime. O segundo é acusado apenas de ocultação e está sob custódia por conta de outro processo.

Com a decisão desta quarta-feira, 7, o julgamento do caso deve ocorrer no próximo ano.

Assessoria de Comunicação Institucional

Facebook Comments