Juacy Loura- Aos meus colegas e à sociedade de Rondônia

Juacy Neto

Uma das perguntas que mais respondemos, os três candidatos às eleições da OAB/RO esse ano, foi o que nos impulsiona com tanto entusiasmo a nos oferecermos como voluntários para essa tarefa. Eu digo que é abnegação. Achei que podia oferecer minha experiência para contribuir com a advocacia e com a cidadania, em troca, recebi grandes ensinamentos de centenas de advogados que acreditaram em nossa capacidade de construir algo melhor.
A todos meu muito obrigado.

Ouvi muito a palavra vitória durante esses dias de campanha. Muitos estavam focados na soma de votos. Em certo momento também pensei que isso era tudo. Agora vejo que a vitória não estava em quem ganhou nas urnas mas na resposta à pergunta que tantas vezes tive que responder: por que tanta garra, tanto esforço, nessa candidatura para uma missão voluntária e sem remuneração. A resposta é, insisto, abnegação. A resposta é: construir um mundo melhor.

E se essa é a resposta, meu queridos colegas advogados, somos forçados a admitir que a luta não acabou. Que devemos continuar entrincheirados, que a OAB/RO não tem dono. Nem mesmo aos advogados pertence. A OAB é da sociedade, porque é por ela que nós existimos enquanto profissionais do Direito.

A vitória, a nossa grande vitória, foi aglutinar um time de advogados abnegados, despojados, batalhadores, barriga de balcão, que querem oferecer seu esforço e seu talento para melhorar a OAB/RO. Não quer dizer que os outros candidatos não são bons. Quer dizer que nós temos o nosso jeito. E tenho certeza que se mais colegas pudessem ter tido acesso aprofundado à nossas propostas, mais se somariam a nós.

Temos uma maneira especial de nos relacionarmos com os outros. Respeitamos, sobretudo, as mulheres advogadas, valorizamos os jovens advogados, e a diferença é que não temos apenas discurso, temos a prática em nossa rotina diária. A diferença é que propomos marcar presença ativa nas questões sociais, nas questões das prerrogativas dos advogados. Outros tiveram a chance de realizar e não o fizeram.

Aí me perguntam se a reeleição não é democrática, por que os advogados rondonienses optaram por ela? Respondo que temos que ter humildade pra compreender o que as urnas dizem — isso sim é democracia. Quem preferiu a reeleição pode não ter pensado nela diretamente como obstáculo ao voto. Pode ser uma questão de amadurecimento, também de nossa classe. Pode ser que o comodismo ou indiferença tenha contaminado alguns de nós que ainda não percebemos a importância do rompimento com os grupos elitistas, da relevância de praticarmos a alternância de poder.

Quero dizer que se acaso o que escrevo agora faz algum sentido, temos que permanecer mobilizados e unidos, fortalecidos por nossos ideais de uma sociedade melhor e ajudar aqueles que receberam das urnas a missão de nos representar para que as promessas feitas sejam cumpridas. Essa é a verdadeira vitória a qual me referi, e que se concretizará se a advocacia e a sociedade forem beneficiadas. E isso só vai acontecer se todos estivermos juntos e permanecermos assim, até as últimas consequências. Porque advogado de verdade, não foge à luta.

Obrigado a todos os que acreditaram. Obrigado aos que votaram na nossa chapa e aqueles colegas que exerceram a democracia dentro da nossa amada instituição. A luta continua e nós que somos advogados não fugimos dela, que Deus nos abençoe.

Facebook Comments