A Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa, realizou sabatina de dois indicados pelo governador Marcos Rocha para comandarem órgãos públicos no Estado.

Neil Aldrin Faria Gonzaga, escolhido para ocupar o Detran e Aziz Rahal Neto, para o Ipem, foram ouvidos pelo presidente da Comissão, Adelino Follador (DEM), com participação dos deputados Marcelo Cruz (PTB), Alex Redano (PRB), Jair Montes (PTC), Aélcio da TV (PP), Anderson Pereira (PROS), Adailton Furia (PSD), Jean Oliveira (MDB), Lebrão (MDB), Chiquinho da Emater (PSB).

Eles fizeram uma série de perguntas pertinentes ao cargo, para saber se tinham todas as características e qualificações para exercer a função. O presidente da Casa, Laerte Gomes também esteve presente nas sabatinas.

Neil Aldrin Faria Gonzaga é coronel da reserva remunerada da Policia Militar de Rondônia, Bacharel em Administração, especialista em trânsito urbano pela Polícia Militar de São Paulo.

O deputado Chiquinho da Emater foi o primeiro a realizar questionamentos, destacando o alto índice de acidentes de motos, além da educação de trânsito em Rondônia. O parlamentar sugeriu a criação de uma lei que estabeleça limite máximo de velocidade de motos em 60 quilômetros por hora. Em resposta, Neil Aldrin Gonzaga afirmou que a atitude passa, não só por educação de trânsito, mas também pelo comportamento do condutor do veículo que vai influenciar no acidente. Disse que o Detran já tem um trabalho de educação em parceria com a Seduc, onde utilizam os professores como multiplicadores da educação do trânsito em Rondônia. Trabalho que mais surte efeito, segundo ele.

Jair Montes criticou o órgão, afirmando ser um dos maiores arrecadadores de dinheiro do Estado, mas atua com ineficiência. Pediu transparência no que diz respeito a fiscalização, deixando de lado somente a Lei Seca e atuando de forma mais clara e diferente. Disse que será um ferrenho fiscalizador das ações do Detran e na cobrança por melhorias.

O deputado Aélcio questionou a Lei que ampara a sabatina de pessoas escolhidas pelo governador para ocupar cargos em autarquias e fundações. Disse que a responsabilidade é total do Executivo, pois a partir do momento em que a Assembleia legislativa dá o aval, se torna conivente com a futuras ações e deixa de ser independente.

Já o deputado Adailton Furia afirmou que o contribuinte de Rondônia paga, atualmente, o IPVA e o licenciamento mais caros do país, bem como a retirada da primeira habilitação. O parlamentar questionou ainda, o valor da transferência de titularidade de veículos.

Ao responder ao deputado, o indicado disse que a composição das taxas, da maneira que é feita, dá o usuário a contraprestação de serviço, independentemente do valor do veículo comprado.  Sobre a vistoria feita em carro zero é necessária para conferência dos dados dos veículos, para não correr o risco de comprar um carro clonado. Sobre a transferência e vistoria de carros usados, disse que essa forma de cobrança será alterada, e que essa vistoria terá validade de seis meses.

Fonte: Decom-ALE-RO

Facebook Comments