Incêndio destrói casas e comércio boliviano no distrito de Buena Vista na divisa com Costa Marques, em RO




Um incêndio de grandes proporções atingiu uma área de casas e comércio boliviano no distrito de Boas Vista (Buena Vista), que faz divisa com Costa Marques (RO), no início da noite de segunda-feira (25). Conforme as primeiras informações da Polícia Civil sobre o incêndio, ao menos 20 casas do vilarejo foram consumidas pelo fogo. “São de madeira. Começou em uma loja e se alastrou rapidamente. Metade do vilarejo queimou”, informou o delegado da Polícia Civil do município, Reinaldo Rei.

Em entrevista ao portal de notícias G1, o delegado contou que o local atingido é usado como ponto de venda de combustível, armamento e drogas. Ele informou ainda que o incêndio deixou feridos do lado boliviano, mas disse que não sabe mensurar a quantidade de pessoas que se machucaram.

Ainda de acordo com a polícia, os feridos são atendidos por equipes de saúde do Exército. Os trabalhos para impedir que o fogo se alastre ainda mais são feitos pela força armada, além de voluntários e a guarda boliviana. O delegado reiterou, ainda, que representantes da Secretaria de Assistência Social (Semas) de Costa Marques dão suporte aos feridos.

Ainda na noite de segunda, o procurador de Costa Marques, Marcos Rogério Garcia Franco, disse que dois bolivianos feridos foram atendidos do lado brasileiro da divisa. A polícia confirmou com o Exército que três pessoas se queimaram. Outras aspiraram a fumaça e tiveram escoriações por conta dos escombros.

A secretária-adjunta da Semas, Senira Dantas, também está no local auxiliando os moradores do vilarejo. Conforme ela, médicos estão sendo encaminhados ao local onde tudo ocorreu a pedido da Prefeitura de São Francisco do Guaporé.

Ainda segundo Senira, as pessoas que se machucaram, que inalaram fumaça ou que passaram mal durante o incêndio estão sendo socorridas e encaminhadas à Unidade Mista de Costa Marques.

Início das chamas

A polícia contou que o fogo teria começado por volta das 18h dentro de uma loja do vilarejo.

O secretário de Turismo e Meio Ambiente, Cassiano Sidon, que também ajuda as famílias, detalhou ao G1 que a primeira informação que recebeu sobre o incêndio é de que as chamas teriam iniciado após a explosão de um motor de energia dentro de um estabelecimento.

“Depois dessa explosão, se alastrou com uma velocidade muito grande. Em menos de uma hora, já tinha tomado mais de 50% das casas. Então foi esse o maior problema. Mas equipes do Exército, Idaron, se prontificaram logo”, disse.

Para que o incêndio não se propagasse, outras casas precisaram ser derrubadas.

A Polícia Civil estima que 10 famílias perderam tudo e, como consequência, seguiram para o lado brasileiro da divisa. Ao todo, Buena Vista tem entre 30 a 40 famílias, ainda de acordo com a corporação.

O que se sabe até agora sobre o incêndio:

  • O fogo teria começado por volta das 18h dentro uma loja;
  • Na sequência, as chamas se alastraram após uma suposta explosão de um motor de energia. Ao menos 20 casas e sete lojas foram consumidas pelo fogo;
  • A polícia informou que três pessoas se queimaram e foram atendidas no lado brasileiro. Não há número exato de feridos e nem registro de mortes;
  • A maioria das vítimas que precisaram de atendimento médico na Bolívia inalaram fumaça e tiveram escoriações, devido aos escombros;
  • A polícia estima que 10 famílias perderam todos seus pertences;
  • 5 famílias estão em uma escola improvisada como abrigo de Costa Marques – cerca de 50 pessoas, entre crianças, jovens e adultos. Outras seguiram para casa de amigos e parentes também em Costa Marques;
  • 100 pessoas continuam na Bolívia trabalham na contenção do fogo. O medo é de que as lojas sejam saqueadas. Voluntários auxiliam entregando água e comida;
  • Participam dos trabalhos o Exército Brasileiro, a guarda boliviana, voluntários, representantes da secretarias de Turismo e Meio Ambiente e Municipal de Assistência Social, além de empresários e as prefeituras de São Francisco do Guaporé e Costa Marques.

Fonte: Mais RO com informações do G1

Facebook Comments