Inacreditável futebol clube: Temer quer tirar verba do esporte para a segurança pública

0
821


 

Abaixo nota de esclarecimento e repúdio do presidente do Sindi Clube, Paulo Movizzo, sobre MP que o Governo Federal pretende editar para transferir parte da verba que compõe o orçamento do esporte para projetos de segurança pública.

 Nota à Imprensa

O Sindi Clube vem manifestar sua total inconformidade com a notícia de que o governo federal pretende editar uma Medida Provisória para transferir grande parte da verba que compõe o orçamento do esporte no país para projetos de segurança pública.

Não se pode conceber solução para os graves problemas de segurança enfrentados pela população com o enfraquecimento do esporte do país que, graças aos incentivos oficiais, vem se estruturando justamente para ser uma alternativa válida para afastar os jovens da criminalidade.

Não é aceitável que os clubes, as confederações nacionais, o Comitê Brasileiro de Clubes, as secretarias municipais e estaduais de esporte e o próprio Ministério do Esporte sejam afetados por uma decisão desse tipo em seus diversos projetos, que garantem à população brasileira qualidade de vida, desenvolvimento humano e inclusão social através da prática esportiva.

Queremos lembrar que os recursos repassados aos clubes são regidos por lei específica, e é incompreensível que, como grandes responsáveis pelo desenvolvimento do esporte e pela formação e preparação dos atletas brasileiros, o segmento clubístico brasileiro e as agremiações que o compõem sejam prejudicados com o corte de suas fontes de financiamento.

Causa ainda maior perplexidade o fato de que a ameaça de edição da lamentável MP ocorra enquanto tramita na Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados um Projeto de Lei que visa exatamente rediscutir a atual divisão dos recursos das loterias que chegam ao esporte, com a finalidade de ampliar a geração de projetos para preparação de atletas, inclusive para o ciclo olímpico de Tóquio, em 2020.

Os clubes sempre tiveram um papel preponderante nos ciclos olímpicos anteriores, quando 80% dos integrantes das delegações que representaram o Brasil nos Jogos, entre atletas e técnicos, eram oriundos de agremiações de todo o país. Por esse motivo, repudiamos liminarmente a ideia de que essa medida seja efetivamente adotada, trazendo incalculáveis prejuízos para a nação brasileira, conforme já exposto.

Paulo Movizzo

Presidente do Sindi Clube

 

Sobre o Sindi Clube

 O Sindi Clube congrega os clubes esportivos, sociais, culturais e recreativos do Estado de São Paulo, e desde 1989 desenvolve programas, projetos e iniciativas voltados para os interesses dessas agremiações em todo o estado e no Brasil. Com uma base de 2.200 clubes, aos quais oferece uma estrutura especializada em administração nas áreas jurídica, trabalhista, fiscal, contábil e tributária, recursos incentivados, cultural, esportes e lazer, a entidade é também um interlocutor frequente do setor governamental, consultado e ouvido pelas autoridades de todos os níveis do país, além de federações, confederações e organizações de todos os segmentos da vida nacional. A instituição mantém a Universidade Corporativa Sindi Clube (Unisindiclube), que oferece um amplo e abrangente programa de capacitação, treinamento e aperfeiçoamento dos profissionais de clubes, por meio de uma completa grade de cursos, seminários, palestras e workshops, e promove os programas Aprendiz, com o qual os clubes dão cumprimento à Lei da Aprendizagem e promovem a oportunidade dos jovens ingressarem no mercado de trabalho, e PEPAC – Programa Esportivo para Associados de Clubes, o maior torneio interclubes do país, além de programas culturais como os Prêmios Nacionais de Literatura dos Clubes e para Estudantes dos Clubes e Convidados, e o Circuito Sindi Clube de Corais.

Facebook Comments