Após ser declarada oficialmente morta durante um procedimento de desobstrução intestinal, Zinaida Kononova, acordou já no necrotério, no último dia 14 de agosto. O caso ocorreu em um hospital no distrito de Gorshechensky, na Rússia.

De acordo com informações do jornal The Independent, a família recebeu a informação e ela foi levada para o necrotério por volta da 1h no horário local. A idosa passou sete horas no local até “reviver”. Uma funcionária se assustou ao ver Zinaida caída no chão após tentar se levantar de uma cama.

Um motorista de ambulância viu a cena da funcionária dizendo “vovó, deita, se acalme” e pensou que ela estivesse conversando com um cadáver. Ao notar que a idosa estava viva, ele ajudou no socorro.

Após a ajuda, a idosa foi envolta por cobertores devido ao frio e direcionada imediatamente para a UTI do hospital central do distrito. Depois de cinco dias, ela realmente morreu.

O hospital telefonou para a sobrinha da idosa Tatiana Kulikova e disse que Zinaida estava viva. Um médico anestesista afirmou que enviaram a idosa ao necrotério uma hora e vinte minutos depois do procedimento, quando o correto seriam duas horas.

A família afirma que se organiza para processar o hospital pelo diagnóstico errado. Uma investigação foi aberta para investigar o caso.

Segundo o The Daily Mail, Alexander Vlasov, o chefe do hospital em exercício, afirmou que a equipe tentou reanimá-la por 30 minutos, sem sucesso.

Facebook Comments