Governo de Rondônia cria dois Hospitais de Campanha para atender pacientes com Covid-19

Os últimos dados desta sexta-feira (26) indicam que Rondônia segue em colapso, com 100% das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) lotadas há mais de 60 dias. No total, 96 pacientes aguardam na fila por vagas, segundo a atualização da Central de Regulação de Urgência e Emergência (Crue-RO).

Segundo informações do boletim diário da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Rondônia teve mais 49 mortes por Covid-19 registradas nesta sexta-feira (26). O estado já soma 3.925 vítimas fatais da doença.

Nas últimas 24 horas o estado também teve 1.497 novas pessoas detectadas positivamente com o coronavírus. Dos casos confirmados para a doença, desde março do ano passado, já são 181.845 rondonienses que foram infectados pelo novo coronavírus.

Governo de Rondônia cria dois Hospitais de Campanha para atender pacientes com Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), que o Governo tem se antecipando nas ações de combate à Covid-19, antes mesmo de se chegar ao cenário atual, e adquiriu o Hospital de Campanha de Rondônia (HCAMP), com investimento em ações, serviços, infraestrutura e recursos para tratar dos pacientes com coronavírus.

De acordo com o Governo, a compra do Hospital de Campanha, antigo Regina Pacis, foi uma decisão acertada tomada pelo governador, coronel Marcos Rocha, e toda a equipe, uma vez que a locação de um hospital de campanha ficaria em torno de R$ 25 milhões, por seis meses, e após esse período teria que ser desmontado. Isso sem contar que são R$ 25 milhões somente pela estrutura física sem os equipamentos e equipe médica.

O Governo de Rondônia e a Sesau adotaram uma estratégia diferenciada, inovando no modelo de aquisição do hospital de campanha, o que trouxe economia e celeridade nas ações de enfrentamento ao coronavírus. A unidade foi comprada por R$ 12 milhões (valor referente à estrutura original, conforme avaliação dos órgãos competentes) passando por uma reforma total, que elevou a capacidade operacional para o enfrentamento da Covid-19.

Inaugurado em 24 de junho do ano passado, o Hospital de Campanha de Rondônia vem se destacando no tratamento contra a Covid-19. A unidade começou atendendo com 12 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e atualmente está com 31 leitos de UTI e 73 clínicos.

Atualmente, a unidade hospitalar também tem desenvolvido serviços de tratamento de hemodiálise para pacientes com lesão renal. Isso mostra que o HCAMP está sendo destaque durante a pandemia, no ponto de vista de atendimento, de cura e quantidade de tempo de internação. Um percentual de cura de 81%, se tornando destaque entres hospitais públicos e privados de todo o País.

HOSPITAL DE CAMPANHA – ZONA LESTE

Como os números de casos da Covid-19 em Rondônia estão apresentando aumento preocupante, com base nos relatórios de dados apresentados diariamente pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), o Governo do Estado e a Sesau, informam que novamente se anteciparam e montaram mais um Hospital de Campanha, o antigo Centro de Reabilitação de Rondônia (Cero), na zona Leste de Porto Velho, que durante anos funcionava com o foco na reabilitação de pacientes.

Com a ocorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus, houve a necessidade de transformar a unidade em hospital de retaguarda para pacientes em tratamento da Covid-19. Foram feitas reformas com recursos provenientes de doações de empresários comop aporte financeiro do próprio Governo do Estado, para que pudesse se disponibilizado, à época, leitos clínicos (de internação) conforme necessidade inicial.

Com o aumento de casos mais graves, a demanda passou para leitos de UTI, sendo necessária uma readequação no planejamento com a transformação do Cero em leitos de UTIs para atender a demanda de pacientes. No local foi instalada uma nova rede de gases e comprado de vários equipamentos necessários para atendimento da população.

No dia 4 de agosto foi inaugurado o segundo Hospital de Campanha do Estado. O antigo Cero começou atendendo com 30 leitos de UTIs e 23 leitos clínicos. Atualmente o hospital de Campanha Zona Leste (Cero) está com 50 leitos de UTIs e 10 clínicos.

GOVERNO E MUNICÍPIOS

Além dos hospitais de campanha criados pelo Governo de Rondônia, o Estado tem dado apoio para prefeituras que montaram hospitais de campanha, dando suporte para a estruturação e funcionamento dessas unidades que estão atendendo pacientes com Covid-19.

Em janeiro deste ano, uma parceria entre Estado e Município viabilizou a estruturação do Hospital de Campanha em Cacoal.  Montado em um imóvel do Governo Estadual, construído para receber o Centro de Referência de Prevenção e Atenção à Dependência Química (Crepad), toda a estrutura foi organizada para o acolhimento e primeiros atendimentos dos pacientes infectados pelo coronavírus, ajudando assim a desafogar os hospitais Regional de Cacoal (HRC) e de Emergência e Urgência Regional de Cacoal (Heuro), que juntos atendem pacientes encaminhados por mais de 30 municípios rondonienses.

De acordo com o Governo, outra ação conjunta entre Estado e município foi realizada para a criar hospital de campanha na cidade de Guajará-Mirim em junho do ano passado. A Unidade Covid-19, hospital de Campanha em Guajará-Mirim, entrou em funcionamento em 04 de junho do ano passado, em mais uma ação conjunta da força-tarefa do Governo de Rondônia e prefeitura. Estão disponíveis 23 leitos clínicos e 04 leitos de suporte ventilatório, a obra foi executada dentro dos padrões de biossegurança. A estrutura está inserida no complexo hospitalar que contempla também os hospitais Regional Perpétuo Socorro e o Bom Pastor.

Em Ariquemes o Centro de Afecções Respiratórias foi transformado para atender pacientes dom covid-19, sendo 28 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), inaugurado em 03 de abril, sendo repassado pelo governo de Rondônia uma ajuda no custeio desses leitos.

Todos esses Hospitais de Campanha, encontra-se em pleno funcionamento prestando assistência aos pacientes infectados pelo novo corona vírus. Porém todos os leitos de UTI há mais de 60 dias estão com uma taxa de ocupação de 100%. Precisamos da ajuda de cada um dos rondonienses para evitar a propagação desse vírus.

Fonte: Mais RO com informações da Secom – Governo de Rondônia

 

Facebook Comments