Ocorreu nesta tarde, em Foz do Iguaçu (PR), um ato no auditório Martina, da UNILA, em solidariedade ao estudante Getho Modesir, do curso de Administração Pública e Políticas Públicas. Getho é haitiano e foi vítima de crime de racismo e espancado na manhã deste sábado, no centro da cidade. O estudante encontra-se hospitalizado.

O evento foi dirigido por uma mesa composta pelos estudante haitianos: Makenley Edmond, Indy Plancher, Loudmia Pierre Louis, Wendy Ledix, Lalane James e Benedic Joseph Barack.

O estudante Barack Joseph relatou os momentos de angústia do amigo, logo após ter sofrido a violência. Getho se comunicou com Barack para informar que havia sido humilhado, massacrado e que ouviu diversas vezes ser chamado de macaco. Getho também dizia que os agressores falavam que “Dilma já foi e agora você vai também”.

O evento foi organizado pelo coletivo KaribUnila, de estudantes caribenhos. O coletivo denuncia a violência constante sofrida no Brasil pelos imigrantes haitianos. No Brasil vivem cerca de cinquenta mil imigrantes do Haiti. A maioria chegou após o terremoto que destruiu o país no ano de 2010. “Vir para o Brasil é uma grande aventura, mas não é a aventura que sonhamos. Escolhemos o Brasil porque ouvíamos dizer que aqui todas as etnias viviam em harmonia”, disse a estudante Loudmila Pierre.

O evento lotou o auditório Martina e apesar do sentimento de dor, demonstrou uma onda de solidariedade que o fato gerou na cidade e especialmente na comunidade universitária.

Fonte: Coletivo Mídia Livre
Fotos:Michele Dacas

Facebook Comments