O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta-feira (18), a lei do Programa Médicos pelo Brasil, substituto do Mais Médicos.

Dentre as mudanças no programa está o veto da proposta aprovada pelo Congresso Nacional, junto com a MP do Médicos pelo Brasil, que permitia a realização do exame de revalidação de diplomas para médicos formados no exterior em faculdades particulares.

Com o veto, que era defendido por entidades médicas, será mantida a atual regra de que apenas as universidades públicas poderão aplicar a avaliação.

O Sindicato Médico de Rondônia (SIMERO), juntamente com o Conselho Regional de Medicina (CREMERO) e Regional Rondônia da Associação Médica Brasileira (AMB-RO) encabeçou a Campanha #REVALIDAJUSTO com o intuito de orientar estudantes de medicina, médicos e, principalmente a população sobre a Medida Provisória 890/19.
“Como informamos em nossa campanha, o Simero é a favor do revalida e da periodicidade do exame desde que feito pelas Universidades Públicas do País. Esse veto é uma vitória para a categoria e estamos felizes em saber que a voz de milhares de profissionais foi ouvida”, relatou Dra. Flávia Lenzi, presidente do sindicato.
De acordo com o Ministério da Educação, o programa Médicos pelo Brasil, prioriza o atendimento médico a regiões mais carentes do país e formar médicos especialistas em Medicina de Família e Comunidade. São 18 mil vagas previstas para todo o país. O primeiro edital para a seleção dos profissionais deve ocorrer ainda no primeiro semestre de 2020.
Facebook Comments