A Comissão de Segurança Pública se reuniu na manhã desta terça-feira (29), no plenarinho 1, sob a presidência do deputado Anderson Pereira (Pros), com as presenças dos deputados, Aélcio da TV (PP), Cabo Jhony Paixão (Republicanos) e Chiquinho da Emater (PSB), para tratar novamente do fim dos contratos dos policiais da reserva remunerada, que prestam serviço ao Governo.

Na semana passada, a cúpula da segurança pública esteve na reunião da Comissão, explicando o impasse. Mas, o Executivo ficou de dar uma resposta aos questionamentos, o que não foi feito. A Comissão decidiu aprovar a convocação dos mandatários da segurança pública do Governo.

“Não chegou resposta nenhuma aos encaminhamentos formulados por esta Comissão. Havia apenas um acordo verbal, mas que o Governo, através de seus representantes não cumpriu, não deu nenhuma satisfação, infelizmente. Mesmo se a resposta não for a que queremos, mas que ela seja dada. O que é lamentável é o silêncio”, disse Anderson.

Cabo Jhony afirmou que a disponibilização de suas emendas, que seriam destinadas para a militarização das escolas, foi direcionada para garantir o pagamento do mês de novembro aos policiais da reserva remunerada.

“Tenho uma audiência ainda hoje com o governador Marcos Rocha (PSL), para segurar esses dois meses. Quero ter a certeza de que a informação verdadeira está chegando aos ouvidos dele. Na política, poucos puxam para o lado certo, mas para promover discórdias, temos sempre muitos voluntários”, ponderou.

Cabo Jhony disse ainda que “peço um pouco mais de paciência e vamos convocar novamente a cúpula da segurança, para explicar de uma vez, se vai ou não manter esse trabalho dos policiais da reserva remunerada, que o Governo não pode abrir mão”.

Ainda segundo Cabo Jhony, “minha emenda garante o pagamento de um mês a todos da reserva remunerada. Os demais deputados já acenaram com a possibilidade de garantir o outro mês. Ou seja, o que falta para o Governo voltar atrás na decisão de cancelar o contrato dos policiais da reserva”, questionou.

Os deputados disseram que, caso haja alguma informação nova sobre o fato, irão informar durante a sessão ordinária da tarde desta terça-feira.

Fonte: Decom-ALE/RO

Facebook Comments