aron-04-370x278O governador Confúcio Moura pode assinar, nos próximos dias,  a ordem de serviço para a construção do Hospital Regional de Ariquemes. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 11, em Porto Velho, pelo secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, durante reunião da Associação dos Municípios de Rondônia (Aron).

A obra está orçada, inicialmente, em R$ 35 milhões e terá prazo de quatro anos para conclusão. De acordo com Williames Pimentel, o novo hospital faz parte do programa de descentralização do atendimento de média e alta complexidade implantado pelo atual governo.

A estimativa, quando o hospital entrar em funcionamento, é que desafogue em pelo menos 30% o atendimento de alta complexidade nas unidades de saúde de Porto Velho, em especial, o Hospital João Paulo II.

Durante sua fala, na abertura da reunião com a maioria dos prefeitos do Estado, Williames destacou o compromisso do governador Confúcio Moura com as prefeituras e fez um balanço dos investimentos do governo no setor de saúde.

Ele citou, como exemplo, a construção do novo Hospital Regional de Guajará-Mirim, que está com 60% da obra construída. No total, mais de R$ 3 milhões foram investidos pelo governo de Rondônia em contrapartida para a União.

REFLEXO DA FOLHA
De acordo com o secretário, somente com o pagamento de servidores cedidos pelo governo para atender todos os municípios de Rondônia, há investimento da ordem de R$ 30 milhões por ano. Este valor sobraria para investimento no setor de saúde e para contratação de novos profissionais, se cada prefeitura pagasse o salário do servidor disponibilizado pelo Estado.

Ele destacou que mesmo com a redução de gastos, o governo “banca” essa conta porque trata-se de saúde pública e a população, independente de questão jurídica, precisa ser atendida; e o governador vem fazendo um grande esforço para não deixar nenhum paciente sem acesso à saúde.

Daniel Pereira, vice-governador

MEDICAMENTOS

Mostrando o compromisso do governo com a atenção à saúde, Williames Pimentel disse que são gastos cerca de R$ 50 milhões por ano apenas na compra de medicamentos, que não estão na lista do Sistema Único de Saúde (SUS), para atender pacientes com doenças graves.

APOSENTADORIA
Durante seu discurso, o vice-governador do estado, Daniel Pereira, falou sobre a conjuntura nacional e os reflexos em Rondônia. Ele defendeu a união entre governo e prefeituras para manter Rondônia em crescimento.

Daniel questionou os entraves gerados pelo governo federal em relação à transposição de servidores estaduais para os quadros da União. No total, cinco mil servidores, que estão aptos à aposentadoria, ainda aguardam pela transposição, apenas porque o governo federal criou a falsa expectativa que quem se aposentar não terá direito a migrar para a esfera federal. Isso trava o Estado, já que seriam mais vagas para uma ampla reestruturação da máquina pública.

 Fonte

Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Decom – Governo de Rondônia

 

Facebook Comments