Governo do AM quer ‘envelopar’ 400 quilômetros da BR-319 para resolver impasse

Justiça Federal deve julgar na próxima semana o recurso do Dnit contra a suspensão das obras Foto: Acervo DA
Justiça Federal deve julgar na próxima semana o recurso do Dnit contra a suspensão das obras
Foto: Acervo DA

Manaus – O Governo do Amazonas vai propor o ‘envelopamento’ de um trecho de 400 quilômetros da BR-319 (Manaus-Porto Velho) para solucionar o impasse ambiental que impede a conclusão da pavimentação.

O anúncio do projeto técnico foi feito hoje pelo governador José Melo, durante o Seminário de Apoio a Investimentos no Estado, como parte da programação da 8ª Feira Internacional da Amazônia (Fiam). De acordo com o governador, o projeto propõe que o Exército Brasileiro seja o guardião da área.

O trecho a ser protegido vai do Igapó-Açu até a divisa com o município de Humaitá, uma área de preservação ambiental que tem sido o principal entrave dos ambientalistas para a liberação da obra.

O projeto está sendo finalizado para ser encaminhado e discutido com o Instituto Brasileiro do meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e posteriormente enviado ao governo federal. Durante o Seminário, coordenado pela Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e que contou com a presença de representantes de entidades empresariais e de instituições financeiras, como o Banco da Amazônia, Caixa Econômica, Banco do Brasil e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o governador garantiu que o projeto vai apresentar a solução definitiva para a BR-319.

“Temos alguns desafios em relação à ZFM, mas vamos falar da BR-319 que é um deles, que nos permite uma ligação direta com o Sul do País, onde temos o maior mercado consumidor dos produtos da ZFM”, afirmou o governador ao falar dos principais entraves à economia do Estado.

“Ali temos a mais rica biodiversidade do Amazonas. Eu sei, os ambientalistas sabem, os cientistas todos sabem. Não adianta querer fazer uma estrada tradicional num ambiente desse que não vão deixar”, disse o governador, ao revelar que o projeto que está sendo desenhado pelo governo do Estado é semelhante ao que já existe em estradas europeias que passam por áreas de preservação ambiental.

“Você mete tela de um lado e outro. De um em um quilômetro faz um túnel para os animais passarem e pega o Exército Brasileiro para que seja o fiador da preservação ambiental desses 400 quilômetros. Dessa forma, a gente tira todos os obstáculos que têm e agrada aos ambientalistas. No fundo eles têm razão. Aquela área é muito rica do ponto de vista da biodiversidade, mas não têm razão na medida em que nos impedem de ter uma saída para o resto do País”, observou o governador.

Justiça

O presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), Cândido Ribeiro, disse aos parlamentares da bancada do Norte no Senado que na próxima semana vai decidir sobre o recurso do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) contra a decisão da Justiça Federal do Amazonas que suspendeu, em caráter liminar, as obras de manutenção da BR-319, que liga Manaus (AM) a Porto Velho (RO).

O desembargador recebeu nesta quinta-feira, no seu gabinete em Brasília, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e os senadores rondonienses Acir Gurgacz (PDT) e Valdir Raupp (RO), todos defensores da retomada das obras de manutenção da rodovia.

Os parlamentares fizeram um relato da diligência da Comissão de Infraestrutura do Senado feita no mês passado. Na ocasião, os três senadores saíram de ônibus de Porto Velho para Manaus.
“Viemos aqui como vieram todas as outras partes falar do nosso entendimento sobre a BR. Temos plena convicção de que TRF1 terá isenção e maturidade para analisar os fatos e decidir”, disse a senadora Vanessa.

Para o senador Acir Gurgacz, o presidente do TRF1 está pronto para tomar uma decisão. “Nossa expectativa é que as obras sejam retomadas”, afirmou o senador. Fonte:

D24am

Facebook Comments