O governo do Wisconsin, nos Estados Unidos, declarou estado de emergência nesta terça-feira (25) após mais uma noite de protestos contra a ação policial que baleou Jacob Blake, um homem negro, diante dos filhos. Um grupo depredou fachadas de empresas e incendiou prédios na cidade de Kenosha, onde o caso aconteceu.

Além disso, o governador Tony Evers anunciou que o número de militares da Guarda Nacional convocados para dar conta dos tumultos dobrará de 125 para 250.

“Não podemos deixar o ciclo de racismo sistêmico e de injustiça continuar”, disse Evers, do Partido Democrata. “Mas também não podemos continuar nesse caminho de danos e destruição.”

Segundo a agência Associated Press, o grupo de manifestantes ateou fogo em ao menos 30 focos na noite de segunda-feira. Dezenas de prédios ficaram destruídos.

Jacob Blake

Jacob Blake (à direita), em foto de 2019 tirada com uma prima. Ele levou ao menos 7 tiros em uma ação policial no Wisconsin, nos EUA — Foto: Courtesy Adria-Joi Watkins via AP

Segundo a polícia, os agentes de segurança estavam no local para acompanhar uma denúncia de briga doméstica, mas a corporação não deu detalhes se o homem oferecia perigo.

Em entrevista, o pai de Jacob disse que o filho tinha ao menos oito perfurações no corpo e que está com o corpo paralisado da cintura para baixo. O advogado Ben Crump afirmou que “só por um milagre” o homem voltará a andar.

O caso ocorre menos de três meses depois de a morte de George Floyd, um ex-segurança negro asfixiado por um policial em Minneapolis, gerar protestos em diversas cidades nos EUA e no mundo.

Fonte: G1

Facebook Comments