O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) irá decidir sobre a prorrogação do auxílio emergencial e o valor até esta semana. Atualmente, cada parcela do auxílio paga R$ 600. O presidente também definirá a quantidade de parcelas adicionais.

Atualmente, a equipe econômica do governo bate na tecla de que a prorrogação deve ser feita com valor menor que os atuais R$ 600. Já os líderes dos partidos defendem que a prorrogação seja feita com mais uma parcela de R$ 600 e duas de R$ 300.

De acordo com o iG, um técnico envolvido nas duas discussões afirmou que o valor não foi definido, mas que será menor que R$ 600 e passará pelo Congresso Nacional.

A intenção do governo é que a prorrogação seja no valor de R$ 200 ou R$ 300 até o fim de 2020, quando será feita a transição para o novo programa, até então chamado de Renda Brasil. Esse novo programa irá substituir o Bolsa Família.

O governo cogita ainda uma prorrogação do auxílio, mas para um público menor. O benefício criado em abril inicialmente pagaria três parcelas de R$ 600. Posteriormente, foi prorrogado para mais duas parcelas de R$ 600. Ele é pago para trabalhadores informais, autônomos, desempregados e microempreendedores individuais (MEIs). Atualmente, ele é pago para mais de 66 milhões de brasileiros.

Pagamento da 5ª parcela

O pagamento da quinta parcela do auxílio emergencial, atualmente no valor de R$600, vai começar a ser pago a partir do dia 18 de agosto para os beneficiários do Bolsa Família.

Os beneficiários que se inscreveram pelo aplicativo ou site e nascidos em janeiro começam a receber a quinta parcela a partir do dia 28 de agosto.

O dinheiro é depositado em conta poupança social digital da Caixa e movimentado pelo app Caixa Tem.

O calendário de pagamento da 5ª parcela do auxílio para beneficiários do Bolsa Família segue até dia 31 de agosto. Novamente, o cronograma segue de acordo com o último dígito do Número de Identificação Social (NIS).

No dia 18 de agosto, o pagamento é liberado para quem tem NIS terminado em 1. No dia 31 de agosto, o último do calendário, o pagamento é liberado para quem tem NIS terminado em 0.

Diferente do que acontece com beneficiários que fizeram cadastro pelo site ou app, os do Bolsa Família não precisam aguardar por um segundo cronograma para fazer saque em espécie do auxílio.

Os beneficiários que não recebem do Bolsa Família, receberão o recurso por depósito em poupança digital pelo aplicativo Caixa Tem. Inicialmente, o dinheiro só pode ser usado para pagamento de contas e boletos e compras por meio de cartão virtual, e só em um segundo momento o recurso é liberado para saques e transferências.  

Atualmente, o governo estuda criar mais parcelas do benefício com um valor reduzido. Porém, ainda não há nada concreto sobre a extensão. Apenas os cinco pagamentos estão garantidos. 

Fonte: Noticias&concursos

Facebook Comments