Foi um aniversário totalmente diferente de todos os outros. Os 52 anos do governador Marcos Rocha, registrados nessa segunda-feira, teve apenas alguma comemoração  familiar, porque a pandemia continua proibindo festas e aglomerações. Ele pediu que ao invés de presentes, seus amigos e parceiros, que concordassem, comprassem cestas básicas e medicamentos, para que a Secretaria de Ação Social distribua entre os mais necessitados.

O Governador afirmou que está sendo feito todo o possível para amenizar os efeitos dessa pandemia.“Tenho pedido muito a Deus que nos livre dessa terrível doença e que alivie o sofrimento de todos os que perderam tantos entes queridos”.

Marcos Rocha registrou que ele mesmo perdeu amigos muito queridos. “Tenho clamado a Deus também por sabedoria, para governar, tomando as melhores decisões, para gerar as melhorias e termos menos impacto social e menos tristeza para nosso povo”.

Embora esteja acompanhando os números da doença e eles estejam diminuindo, segundo comentou, o Governador acrescentou, emocionado, que “sofro muito porque vi quantas pessoas perderam a vida”. Também lamentou que “pessoas de mau caráter ainda estejam fazendo política em cima dessa tragédia”.

Disse ainda que seu maior presente de aniversário, se pudesse pedir, seria que “Deus proteja a população e que nosso Estado se desenvolva mais e mais”.

Além das doações, ao invés de presentes, membros da equipe de Governo principalmente do primeiro escalão, sem poder dar os parabéns pessoalmente ou um abraço no chefe, enviaram vídeos, individualmente, cumprimentando o chefe deles à distância.

No seu segundo aniversário à frente de Rondônia (ele foi eleito em 2018, pouco depois de completar 50 anos), Marcos Rocha ouviu dos seus parceiros de governo muitos elogios, pela forma como vem conduzindo o Estado, mesmo em tempos de pandemia. Ao blog Opinião de Primeira, há algum tempo atrás, ele confessou que, anos atrás, jamais teria imaginado “que um dia eu teria a honra de governador um Estado como Rondônia” e, muito mais, que teria, durante sua administração, que enfrentar uma das mais terríveis epidemias que não só o Brasil, mas o mundo todo, estão enfrentando nesse momento. Rocha, evangélico, tem aproveitado todas as ocasiões em que há encontros religiosos, para rezar, segundo ele, “para que Deus acabe de vez com esse sofrimento de tantos rondonienses, brasileiros e, claro, de toda a Humanidade”.

O Governador espera que em seu próximo aniversário, possa comemorar com familiares e amigos já com abraços e confraternização permitidas, pelo fim da pandemia.

Fonte: Blog Opinião de Primeira – Sérgio Pires

Facebook Comments