Glomaron também faz campanha para arrecadar donativos aos desabrigados da cheia

 

A Grande Loja Maçônica do Estado de Rondônia (Glomaron) está desenvolvendo campanha de arrecadação de donativos em favor dos desabrigados pela cheia do rio Madeira, na região de Porto Velho, e em outros municípios atingidos pelas cheias, como Nova Mamoré, Guajará-Mirim, Costa Marques, Rolim de Moura, Santa Luzia e Rio Crespo. O grão-mestre da Glomaron, advogado Juscelino Moraes do Amaral, já se reuniu semana passada com o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Lioberto Caetano, com representantes da Defesa Civil e do Governo do Estado, que solicitaram apoio dos maçons na arrecadação de donativos para amenizar o sofrimento dos desabrigados.

Os órgãos oficiais enxergam a organização e a disposição dos obreiros da Maçonaria para a prática da fraternidade como importantes aliados na realização de campanhas como essa. Um exemplo dessa organização dos maçons é a realização anual do festival Grande Costela da Solidariedade, cujos recursos são distribuídos entre entidades filantrópicas.

Na manhã desta terça-feira, antes de se reunir com um grupo de empresários para solicitar apoio à campanha da Glomaron em favor dos desabrigados, o grão-mestre Juscelino Amaral anunciou que a Grande Loja já conseguiu a doação de 10 mil litros de água mineral. Essa água, em vasilhames de 1,5 litros – conforme especificado no ofício do Corpo de Bombeiros à Glomaron – e doada pela Lindágua, já foi enviada aos desabrigados da região do Baixo Madeira, onde o primeiro item a escassear foi a água potável.

Agora, segundo Juscelino, os obreiros da Glomaron se concentrarão no trabalho de arrecadação de alimentos, para montagem de cestas básicas a serem distribuídas entre os desabrigados. O trabalho envolve inicialmente as lojas jurisdicionadas de Porto Velho, Candeias e Itapuã do Oeste, mas, à medida que o problema se agravar, a Grande Loja deverá convocar as lojas dos outros municípios a se engajar na campanha.

Na terceira etapa da campanha, explica Juscelino, a Maçonaria se engajará na arrecadação de outros donativos, como roupas, fraldas e alguns tipos de utensílios. “Sabemos que, com a enchente, muitos dos nossos irmãos perdem o pouco que têm. Por isso, se você dispõe de coisas que não lhe têm mais utilidade, vamos doar para ajudar aqueles que nada têm”, apela o grão-mestre da Glomaron.

A disposição da Glomaron em realizar essa campanha de arrecadação de donativos aos desabrigados da cheia, não tem nenhum cunho político e decorre de seu primado e de sua natureza de praticar a igualdade, justiça e fraternidade. “Não é uma campanha da Glomaron, mas de cada um de nossos obreiros e dos amigos empresários (maçons ou não) que sempre apoiam nossas iniciativas fraternais”, reitera Juscelino.

Facebook Comments