Futuro governo promete acelerar acesso às reservas de grafite e projetos de veículos elétricos ganham fôlego

Grafeno tem atraído interesse do presidente eleito devido às suas características eletroquímicas e aplicações
Comando News – O futuro presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), divulgou em suas redes sociais em um vídeo com a intenção de acelerar o acesso às reservas brasileiras de grafite para extração do grafeno. A informação transmitida pelo presidente eleito despertou o interesse de indústrias e empresas. “O grafeno é um material que pode ser incorporado como elemento nas baterias existentes ou como associação para melhorar a performance delas, tais como: maior capacidade de armazenamento de energia, recarga rápida, maior vida útil e confiabilidade” explica Marcos Berton, pesquisador chefe do Instituto SENAI de Inovação em Eletroquímica.
A intenção do futuro governo em acelerar o acesso para extração de grafeno é uma excelente alternativa para startups desenvolvedoras de projetos de carros elétricos, como explica o engenheiro eletricista Milton Francisco dos Santos Junior, responsável pelo projeto da eiON, fabricante de um buggy elétrico 100% brasileiro, que já foi destaque na carreata elétrica da última edição do Salão do Automóvel, em novembro, em São Paulo. “As pesquisas e estudos sobre o grafeno são de grande importância para a aceleração da popularização da mobilidade elétrica no mundo. A mobilidade elétrica é uma tendência sem volta. Já é viável e está ganhando mais competitividade a cada dia. O ganho de escala e o avanço tecnológico provocarão uma ruptura sem precedentes no setor de transportes nos próximos anos e o grafeno poderá se o grande responsável pelo ponto de inflexão”, destaca Milton.
Para o engenheiro, o grafeno poderá proporciona maior eficiência energética nos veículos elétricos. Na acumulação de energia, poderá viabilizar menores pesos e volumes, bem como maiores capacidades de armazenamento, além de outros benefícios. “Os projetos da eiON acompanham de perto todos os avanços tecnológicos referentes às baterias, com especial atenção para o grafeno, nióbio e o titânio”, reforça, lembrando que a empresa tem outros projetos de veículos elétricos já engatilhados.
Resultados surpreendentes
Em 2017, a Samsung incorporou bolas de grafeno nas baterias a base e lítio e os resultados foram surpreendentes: recarga completa em 12 minutos e temperatura de operação estável até 60 graus, uma ótima alternativa para veículos elétricos. Dentre os vários projetos de baterias que está sendo desenvolvido no Instituto SENAI de Inovação está a bateria de chumbo ácido contendo grafeno no material ativo das placas positivas e negativas com aplicação para o setor automotivo e como elemento e liga para baterias de aviação. “Para cada aplicação o grafeno é modificado, funcionalizado ou ativado na superfície para aumentar significativamente a performance das baterias” explica Berton.
Carro elétrico Hi-Tech a venda em Rondônia

Os projetos no SENAI estão em fase de desenvolvimento em parceria com mais de 20 empresas nacionais dos segmentos de baterias, aviação, ligas, fabricantes de grafeno e grafite e de tecnologia de ativação. Segundo o pesquisador, estima-se que a fase de testes iniciais se estenda por dois ou três anos. “Todo material novo desenvolvido leva um certo tempo para chegar até o mercado consumidor. Além das pesquisas iniciais, prova de conceito, protótipos, testes em laboratório e em ambiente relevante, escalonamento para produção, investimentos na linha de produção e comercialização podem levar mais alguns anos” finaliza Marcos Berton.

Fatos sobre o grafeno
O Brasil possui grafite de alta qualidade para produzir o material de forma pura e com um custo relativamente baixo. Entretanto, segundo Marcos Berton, o governo não deve estar pensando no grafeno como uma commoditie. “O Brasil tem condições de produzir materiais e dispositivos com alto valor agregado com grafeno e entrar no cenário mundial com alta tecnologia” afirma Berton.
O grafeno é o material mais fino e leve já conhecido. Uma folha de grafeno é naturalmente transparente, pesa apenas 0,0077 gramas e é capaz de suportar até 4 quilos.  Os usos potenciais do grafeno vão além do carregamento ultrarrápido de baterias. Pesquisadores apontam que o grafeno pode ser utilizado para a criação de baterias dobráveis, aeronaves mais fortes e leves, transformação de água salgada em água potável, aumentar a velocidade da memória flash de dispositivos eletrônicos, desenvolvimento de ferramentas e equipamentos mais fortes e equilibrados como raquetes de tênis, revestimentos impermeáveis e até na regeneração de tecido humano.
Facebook Comments