O final de semana fechou com um saldo de violência assustador. De sexta-feira (10) até domingo (12) foram registrados nove assassinatos em Porto Velho, todos com requintes de crueldade.

A Polícia acredita que a onda de crimes está ligada à soltura de presos por ordem da Justiça por conta do Covid – 19.

Já na madrugada de domingo para segunda-feira foram mortos o idoso Manoel Alves da S|ilva, 69 anos, e Bruno Martins de Oliveira, de 24.

Os crimes aconteceram na região sul da cidade e a Polícia está investigando a possível ligação das mortes com o latrocínio do Cabo PM Rogério, ocorrido na tarde do último sábado, pois as vítimas seriam parentes dos suspeitos da morte do militar.

Na madrugada de sexta-feira para sábado, a primeira morte confirmada foi da doméstica Simone Vieira da Silva, de 43 anos.

Ela foi encontrada com perfurações no peito, minutos depois após deixar uma festa, na rua Interlagos, bairro Ayrton Sena. A Polícia não tem suspeitos do crime.

Ela teria saído da festa, mesmo os amigos tendo alertado para que ficasse ou aceitasse carona.

Na tarde do sábado, o cabo PM Rogério foi morto com um tiro no rosto após tentar impedir um assalto em um frigorífico na região Sul da cidade, quando um grupo chegou em três motocicletas para roubar o estabelecimento.

Por se tratar de latrocínio, o crime será investigado pela Delegacia de Patrimônio, e vários suspeitos já foram presos.

A sequência de crimes teve sequência na madrugada de sábado com o cruel assassinato do jovem Alberto Andreoli, o Beto, de 31 anos, próximo à sua residência, na rua Venezuela com Abunã, bairro Embratel, zona norte da capital. Beto era filho do jornalista Paulo Andreolli, do site Rondoniaovivo.

Após uma discussão banal, ele foi morto com 10 facadas por João Luiz da Silva Filho, 49 anos, que foi preso em flagrante.

Nos Condomínios populares do Projeto Minha Casa e Minha Vida, na zona Leste, três homicídios: Alexsander Vinícius Araújo de Oliveira, 19 anos, no Residencial Orgulho do Madeira, o haitiano Ideno Dorcilus, no Orgulho do Madeira, e Edinaldo Silva da Conceição, 20 anos no Bairro Jardim Santana. Edinaldo foi atingido com um tiro na cabeça e morreu em uma casa onde bebia com vários amigos.

O saldo de nove homicídios poderia ter sido bem pior, pois, segundo os registros policiais doze pessoas foram baleadas, durante o cometimento de alguns dos assassinatos.

Informa testemunhas que também escaparam da morte e seriam silenciadas para não dedurar o agressor.

Facebook Comments