A Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron) programou para a Semana Nacional do Doador de Sangue, de segunda a sexta-feira (23 a 27 de novembro), uma série de atividades para convidar e incentivar as doações de sangue em todo Estado, a fim de marcar esta data e atender a crescente demanda agravada pela pandemia da Covid-19 que, por medo, afastou muitos doadores.

De acordo com a assistente social Maria Luiza Pereira, responsável pela captação da Fundação Estadual que coordena os hemocentros em todo o Estado, os estoques de sangue nessas unidades coletoras estão bem abaixo do normal e muitos tipos sanguíneos já estão faltando, por isso é importante que os doadores compreendam este momento e mantenham o ritmo das doações ante a drástica queda dessas ações, um fenômeno que atinge a todo o País e que depende da solidariedade de todos neste ato para salvar vidas.

PROMOÇÃO PARA INCENTIVAR DOADORES

Maria Luíza explicou que há um esforço geral das pessoas, organismos e entidades na realização da Semana do Doador em Rondônia, e que promoções serão realizadas para incentivar as doações, como a iniciativa de uma associação de clubes de Porto Velho, que vai disponibilizar 100 mudas de ervas medicinais para a Fhemeron distribuir entre os doadores na abertura da semana, além da apresentação de músicos violinistas portovelhenses, para recepcionar os doadores na Capital com o carinho da boa música, ação que também é patrocinada pela associação.

DOAÇÕES SEGURAS

Sobre os procedimentos para doação, a assistente social da Fhemeron informou que, mesmo antes da Semana Nacional do Doador de Sangue, a Fundação já vinha adotando medidas práticas para a segurança dos doadores. Ela informou que a pessoa não precisa ter medo de doar, pois a Fundação planejou e implantou várias medidas com este fim, para evitar aglomerações e qualquer risco de contaminação pela Covid-19 dos voluntários da Fundação.

“Por isso faço um convite/apelo a todos para que confiem e pratiquem este nobre ato de solidariedade e amor ao próximo”, disse Maria Luiza, convidando os doadores – inclusive os acometidos e curados da Covid-19 há mais de 30 dias – a comparecerem na Fhemeron das 7h15 às 18h, podendo ser utilizados os números 99984-0125 (WhatsApp) ou 3216-2234, ambos para tirar dúvidas. Todos os cuidados com a higienização foram intensificados em todos os hemocentros do Estado, como lavagem e assepsia das mãos, uso de antissépticos e higienização de instrumentos e superfícies (cadeiras, mesas), para garantir a segurança do doador.

IMPORTANTE SABER

De acordo com publicação do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito), que tem a chancela do Ministério da Saúde (MS), o sangue recebido em doação é dividido em diversos componentes, como plaquetas, plasma e hemácias, e por isso, uma única coleta pode servir para a recuperação de várias pessoas que esperam doação. Neste ponto importa esclarecer que o doador não deve preocupar-se com a quantidade de sangue que doará, visto que uma pessoa adulta tem cerca de cinco litros de sangue circulando no corpo, e que numa doação são coletados, no máximo, 450ml. E esta quantidade retirada não afeta a saúde do doador, conforme explicações do Ministério da Saúde, assegurando que a recuperação dos níveis de sangue no corpo é imediata após a doação.

A Semana Nacional do Doador de Sangue foi criada pelo Decreto nº 10.036/2003, oficializando a última semana do mês de novembro para o evento, que reconhece a importância da doação de sangue como um gesto de solidariedade e amor ao próximo, e como o meio para incentivar e tocar a sensibilidade das pessoas para a importância da doação.

Fonte: Secom

Facebook Comments