Feira vai integrar empresários e produtores para impulsionar sociobiodiversidade na faixa de fronteira na Amazônia

guajara-749x290 Para aproximar e integrar produtores, empresários, associações e comunidades da Região do Mamoré com objetivo de promover a visibilidade da produção local no segmento da sociobiodiversidade, e fortalecer a cadeia produtiva da região, o governo de Rondônia vai realizar de 30 de novembro a 4 de dezembro, em Guajará-Mirim, a Feira da Sociobiodivesidade de Rondônia. Com o tema “O Desafio do Desenvolvimento Sustentável na Faixa de Fronteira na Amazônia”, o evento terá programação ampla e diversificada em parceria com diferentes instituições ligadas ao assunto.

A iniciativa, coordenada pela Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), será realizada na Escola Estadual Alkindar Brasil de Arouca. De acordo com os organizadores, o evento proporcionará intercâmbios de conhecimentos e experiências; estímulos para estudos científicos; produção e divulgação de conhecimentos sobre impactos sociais e ambientais, entre outras ações que deverão debater a busca de alternativas para fomentar o segmento. Na programação, estão previstos encontros, congressos, simpósios, exposições, apresentações de trabalhos científicos, mesas redondas, palestras, cursos, mostras culturais e mais uma série de atividades para atender a necessidade de cada público, seja ele estudante, agricultor familiar, empresário, representante de instituições ou da sociedade em geral.

Durante a feira será realizado ainda o ‘XV Encontro do Núcleo Estadual de Desenvolvimento e Integração da Faixa de Fronteira’, coordenado pela Sepog, onde membros do núcleo – entre eles prefeitos dos 27 municípios localizados na faixa de fronteira de Rondônia, autoridades federais, como o coordenador-geral de programas macrorregionais do Ministério da Integração (MI), Alexandre Peixoto – vão debater os projetos e programas já executados no Estado para o desenvolvimento da região e dar novos encaminhamentos para fortalecer a faixa fronteiriça.

Também será realizado o ‘Segundo Encontro de Gestão Ambiental na Região de Fronteira Amazônia Brasil/Bolívia’, o ‘III Congresso Internacional de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Humano: Intercâmbio Interdisciplinar’, e o ‘ VI Simpósio Brasileiro de Debate em Ação: Discussão Científica’.

Paralelo à programação e no mesmo espaço, o público vai conferir também festivais gastronômicos de pirarucu, castanha, abacaxi, mandioca e açaí, além de apresentações culturais, exposição culinária, artesanato e outros produtos da sociobiodiversidade.

OPORTUNIDADE

A região foi escolhida como palco da feira por ser a região com o maior número de reservas florestais no Estado. Essas áreas disponibilizam uma variedade significativa de matérias primas originadas da própria natureza que evidenciam a potencialidade do ambiente para geração de produtos da sociobiodiversidade e renda aos agricultores familiares.

De acordo o secretário da Sepog, George Braga, a maioria dos produtos extraídos da natureza são vendidos in natura. “Com a feira, o Governo de Rondônia quer mostrar que podemos estabelecer inovação aos produtos e agregar valor a eles. Ao invés de vender só a fruta, podemos oferecer a compota ou a calda do abacaxi, por exemplo, ou beneficiar a castanha para exportação”, lembrou o secretário.

Segundo o assessor especial da Sepog, Natan Oliveira, os trabalhos para o desenvolvimento dos produtos da sociobiodiversidade vão ser intensificados em 2016. “É prevista a atualização, junto à Universidade Federal de Rondônia (Unir), do levantamento das potencialidades existentes na região, buscando a captação de recursos para fortalecimento das ações e inserir inovação aos produtos.”

Fonte
Texto: Jane Carla
Fotos: Ésio Mendes e Maicon Lemes
Secom – Governo de Rondônia

Facebook Comments