Fabrício Jurado é pré-candidato a prefeito de Porto Velho

Em 2019, ocorreram cerca de 4,7 mil acidentes de trânsito na capital, de acordo com o Detran RO

Nos últimos meses, dois ciclistas morreram em acidentes no trânsito de Porto Velho. Ao que tudo indica, um deles foi vítima de uma disputa de racha. O outro, da mistura de álcool e direção. A morte dos dois ciclistas, no entanto, não são pontuais. Todos os dias, motociclistas, pedestres e motoristas também perdem a vida em razão da imprudência nas vias de Porto Velho. Muitos dos que sobrevivem precisam lidar com sequelas como dificuldade de movimentação, amputação e até paralisia. Isso sem mencionar o trauma psicológico.

Excesso de velocidade e desobediência às leis do trânsito são alguns dos motivos que resultam na morte de centenas de pessoas nas cidades do Brasil.

De acordo com o Anuário 2019 do Detran de Rondônia (Departamento Estadual de Trânsito), publicado em agosto de 2020, cerca de 4,7 mil veículos se envolveram em acidentes no trânsito de Porto Velho no último ano. Acidentes com motos aparecem em primeiro lugar nas estatísticas, representando 2.652 do total, seguidos por 1.372 envolvendo automóveis. Os acidentes com bicicletas aparecem em terceiro lugar no anuário, com 331 ocorrências registradas. Completam esse quadro, os acidentes com caminhões, caminhonetes e ônibus, registrados em 2019 na cidade.

Para acessar o anuário, clique em https://www.detran.ro.gov.br/2020/08/anuario-2020-veiculos-envolvido-acidente-de-transito/ .

O Brasil é um dos países com a maior ocorrência de mortes no trânsito no mundo, precedido apenas por Índia, China, Estados Unidos e Rússia. Segundo o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), instituição dedicada a desenvolver ações para a diminuição dos índices de acidentes no trânsito brasileiro, Rondônia está entre os 16 estados que apresentam a média de acidentes acima da média nacional. Foi considerado como índice de comparação as mortes por 100 mil habitantes, uma realidade preocupante e que exige ações mais efetivas e constantes para mudar a situação.

Segundo Fabricio Jurado, pré-candidato a prefeito pelo Democratas, a Prefeitura poderia manter uma política pública de educação no trânsito. “Campanhas educativas, que podem ser realizadas em conjunto com o Detran usando as mídias, televisão e rádio, devem fazer parte do calendário anual de ações do poder executivo para mudar essa triste realidade do trânsito de Porto Velho”.

Fabricio explica que os acidentes no trânsito, além de afetar os envolvidos e familiares, gera problemas nos setores de emergência dos hospitais, que ficam lotados. Em sua opinião, “a prevenção por meio de ações educativas é extremamente importante”.

 

SOBRE FABRICIO JURADO

Advogado, nasceu em Porto Velho, em 1975, é Presidente do Diretório Municipal do Democratas.

 

Facebook Comments