Através desta postagem trazemos algumas matérias de vários sites, onde se discorre sobre este tema tão polêmico e, ao mesmo tempo, tão atual e verdadeiro. Que cada um tire suas próprias conclusões. Lembrando que o espaço de comentários também serve para debates saudáveis e respeitosos.

Espiritismo e Extraterrestres

Por Hugo Lapa

Quando comecei a pesquisar a relação entre ufologia espiritual e o Espiritismo, comecei a perceber como é difícil associar duas formas de conhecimento espiritual distintas. Muitos líderes do movimento espírita não gostam de usar a palavra extraterrestre dentro dos centros, e nem mesmo aceitam a presença de seres de outros planetas nas sessões mediúnicas. Visto se tratarem de seres muito antigos e sábios, qual seria o impedimento para uma manifestação extraterrestre num centro espírita?

Apesar do Espiritismo falar claramente sobre a pluralidade dos mundos habitados, o contato com os extraterrestres raramente são levados a sério. Alguns adeptos do movimento espírita chegam ao ponto de afirmar que aparições de seres do espaço, humanoides e não humanoides, são espíritos obsessores disfarçados de extraterrestres. Seu objetivo seria confundir os seres humanos, distorcer o conhecimento, criar seitas de ufolatria e desviar as pessoas do progresso espiritual. Como já mencionamos anteriormente nesta obra, há abundantes evidências da existência de seres extraterrestres como seres físicos, com naves e tecnologia superior.

O Espiritismo é uma doutrina cristã por excelência. O livro “Evangelho Segundo o Espiritismo” forma a base dos seus ensinamentos cristãos. As palavras de Jesus, seus pensamentos e idéias, tal como expressos no Novo Testamento, são uma orientação essencial para a doutrina espírita. O único ensinamento de Jesus que, se bem interpretado, pode revelar algo sobre a vida extraterrestre é a famosa frase que diz “Na casa de meu Pai há muitas moradas”. Espíritas e não espíritas acreditam firmemente que Jesus estava se referindo aos diferentes planetas do universo.
Mas talvez não sejam apenas os planetas a abrigar vida, é possível que outros corpos celestes tenham essa mesma função, algo desconhecido da ciência da Terra. É possível que as estrelas, incluindo nosso sol, sejam uma “morada” para seres de ordem espiritual mais elevada. Os habitantes das estrelas, provavelmente, não ficam restritos a sua superfície como ficam os terráqueos à Terra, presos pela força da gravidade e pelo peso de sua condição corpórea. Dizem que os habitantes solares vivem em outra dimensão, além do plano material.

O Espiritismo é, provavelmente, a teoria mais antiga que aceita integralmente a existência extraterrestre. Os ensinamentos espíritas são bem claros a esse respeito: miríades de seres estariam povoando todo o conjunto do universo. Esse superpovoamento, pregado pelo francês Alan Kardec, chega a ocupar todos os espaços do cosmos. Segundo os espíritos que teriam transmitido a doutrina espírita, em todos os globos do universo existem seres de variados graus de progresso espiritual. Dos mundos inferiores aos mundos superiores, a criação divina não admite espaço vazio, ou zonas despovoadas e sem qualquer utilidade para a inteligência suprema. A inutilidade é uma idéia contrária a própria natureza divina, em sua infinita perfeição e sabedoria.

Em “O Livro dos Espíritos”, as mensagens quanto à existência de vida inteligente fora da Terra são expostas nas questões 55 a 59: “Há vida em todos os globos que se movem no espaço”. Deus, em sua infinita sabedoria, jamais poderia ter criado os mundos para nada servirem; para se tornarem grandes massas sólidas de matéria que giram no espaço e nada produzem de útil. Para que a providência se cumpra, é necessário que existam seres habitando os mundos, e que neles sejam realizados os propósitos divinos, que, em essência, é a evolução dos espíritos – pelos seus próprios méritos – rumo à perfeição. Essa ideia é conhecida no Espiritismo de “Pluralidade dos Mundos Habitados”, que é o nome do capítulo de “O Livro dos Espíritos” que fala a esse respeito.
De acordo com o Espiritismo, como seria a forma dos seres de outros planetas? O Livro dos Espíritos menciona sobre as constituições físicas de cada mundo. Essa constituição varia de um mundo a outro e obedece ao nível de adiantamento moral de um globo (planeta). Isso significa que, quanto maior o grau de progresso alcançado, maior o embelezamento da forma física desses seres. Por outro lado, quanto mais degradado moral e espiritualmente é uma civilização, menor será sua beleza física.
Essa idéia está ligada a teoria da beleza do Espiritismo. Essa teoria proclama que a evolução moral e espiritual de uma raça acompanha e influencia no seu grau de embelezamento. Uma constituição animalizada, com traços grosseiros, pode indicar uma forma onde os instintos prevaleçam sobre a inteligência, o caráter e a moral. Por outro lado, uma forma refinada, leve, com traços finos, demonstraria uma evolução moral. Esse pensamento de Kardec foi considerado racista por muitos, pois colocaria os negros como inferiores no campo moral.

Fonte: hugolapa.wordpress.com

A PRESENÇA EXTRATERRESTRE NOS CENTROS ESPÍRITAS
Por Neusa Gomide
Amigos,
Estamos tratando da Transição Planetária atual e dos desdobramentos naturais das atividades da GRANDE FRATERNIDADE BRANCA e dos seus Servidores em todas as atividades humanas e não humanas (animais, minerais, vegetais e elementais) em face das transformações no planeta Terra.
O presente texto não visa, de forma alguma, levantar críticas ao espiritismo. Pelo contrário, somos infinitamente gratos à codificação de Kardec. Entendemos que, como numa família, deveríamos sentar para discutirmos os pontos críticos para avançarmos. É nosso desejo e aspiração avançarmos sempre, aprendendo os novos caminhos e infinitos que são os caminhos do Espírito da Verdade. Nós somos extraterrestres!

 

UMA SITUAÇÃO CULTURAL DOS ESPÍRITAS SOBRE OS EXTRATERRESTRES

Kardec codificou, no Espiritismo, a existência dos espíritos dos homens como seres desencarnados. Mas os espíritas não refletem a idéia de espíritos de seres extraterrestres que possam ter desencarnado na Terra. Kardec codificou o Espiritismo em 1857 (publicação do Livro dos Espíritos), afirmando estar trazendo palavras novas para as coisas novas, já que naquela época não existia a palavra Espiritismo e Herculano Pires na Introdução do livro acima, afirma que sobre este livro se ergue a Doutrina Espírita – pedra fundamental do Espiritismo – o seu marco inicial. Mas os espíritas acreditam na idéia de que o Espiritismo não pode mais evoluir e que tudo o que tinha a ser conhecido e sabido já foi dito por Kardec.
Kardec codificou no Espiritismo a comunicação entre o mundo material e o espiritual e entre algumas obras – OBRAS PÓSTUMAS – se encontram relatos de seres terrestres(artistas famosos na Terra) morando em outros mundos do Sistema Solar; mas os espíritas estranham uma comunicação de um ser que se identifica como sendo de outro planeta ou vindo de outro planeta.
Kardec codificou no Espiritismo a aparência dos espíritos como sendo geralmente o da última encarnação, mas os espíritas estranham uma comunicação de um ser de aparência extraterrestre (talvez por ser de outras encarnações em outros mundos).
Kardec codificou no Espiritismo o papel do médium, canalizando mensagens de espíritos, mas os espíritas estranham que haja médium para canalizar mensagens de outras fontes, por exemplo, seres mais evoluídos que não se encontram desencarnados, apenas vibrando em outra dimensão.
Kardec codificou o Espiritismo com base nos ensinamentos dos “Espíritos”, mas os espíritas relutam em acatar ensinamentos de “Espíritos” que se dizem Extraterrestres, afirmando que estes estão tentando confundir os médiuns, ou que são obsessores.
Amigos, a pesquisa não se esgotou em Kardec! Kardec é a pedra fundamental! Há ainda um imenso edifício por se construir! Basta uma leitura nos novos livros psicografados no meio espírita, para saber sobre a transição planetária em andamento. E quem é orador, que inclua em suas palestras, palavras novas:

– Sobre a vida nas estrelas.

– Informações de que não somos “obra” do Criador.

 

A PRESENÇA DE EXTRATERRESTRES NOS CENTROS ESPÍRITAS

Vamos relatar um caso ocorrido no Plano Espiritual de um ser terrestre que visitava um Centro Espírita. Não temos autorização para citar nomes.
Este ser era advogado em sua última encarnação na Terra. Em visita a um Fórum constatou um fato raro: a presença de um advogado médium no Fórum sem estar acompanhado por nenhuma entidade espiritual. Acompanhou aquele médium, vendo ali uma oportunidade de trabalho. Passou a seguir o médium, procurando uma oportunidade de se manifestar quando o mesmo comparecesse a uma reunião espírita.
Tal se deu e este Advogado Desencarnado compareceu como observador ao Centro Espírita. Vendo o desdobramento dos trabalhos da casa, observou do médium uma coisa completamente estranha a este espírito. Uma entidade alienígena – um ET – usando dos fluídos do médium tornou-se visível a este espírito do advogado e manifestou-se com extrema dificuldade de comunicação.
Relata este espírito do advogado que o ET não foi nada bem vindo. Também os espíritos desencarnados se sentem ameaçados pelos ETS, pois eles vibram numa faixa superior à dos Espíritos terrestres que se encontram presos à atmosfera da Terra. Relata o espírito do advogado que os espíritos que se encontravam no Centro Espírita começaram a desdenhar o ET que se manifestou com um pequeno sinal que causou estranho formigamento naqueles espíritos zombedeiros.
Assim, o dirigente da Casa pediu que o ET se afastasse para dar oportunidade a outro espírito de se manifestar. Foi então que este espírito do advogado se manifestou e foi bem recebido pelos médiuns e dirigentes da casa. Terminados os trabalhos da Casa Espírita este espírito do advogado acompanhou o médium (ver no início) até sua casa. Ao deitar, o espírito do advogado constatou que o médium foi assediado por espíritos perturbadores que lhe causavam tormentos e danos nos órgão físicos.
Foi então que surgiu o ET, a entidade alienígena, que tornou-se visível e começou a agir em defesa do médium. O pequeno ser verde aprisionou as entidades obsessoras causando-lhes danos nos seus perispíritos deixando que fugissem ou sofreriam de forma mais grave. Após esta cena que foi observada pelo espírito do advogado, ele, o ET e o espírito do médium conversaram grande parte daquela noite.
Estamos tentando uma forma de disponibilizar maiores informações sobre este assunto e as repercussões desse relacionamento que surgiu desde então – ensinamentos e informações sobre os “médiuns intergaláticos”. Todavia, sabemos que muitas informações são feitas por extraterrestres usando nomes terrestres tais como “Dr. Fritz” e outros da Grande Fraternidade Branca.
O que vale é a universalidade dos ensinamentos. Estaremos em breve diante de fatos reais de contatos e seria muito melhor termos uma real compreensão dessas coisas enquanto nossas mentes e nossas emoções estão “equilibradas” para analisar e aprender…
CASAS ESPÍRITAS E SERES EXTRATERRESTRES
Casas Espíritas e Seres Extraterrestres
Também é motivo de preocupação para nós, o silêncio por parte das Casas Espíritas, quando o assunto é comunicação mediúnica dos seres extra-planetários.
Concordamos que as instituições Espíritas de modo geral, com seus médiuns e estudiosos da Doutrina, detêm a credibilidade desejada para que essas comunicações se estabeleçam, entretanto isso parece não estar ocorrendo, ou se ocorre, não está sendo divulgado. O que estaria acontecendo?
A posição de indiferença quanto ao assunto, adotada pelos dirigentes dessas Casas, poderia inibir os médiuns e inviabilizar a aproximação desses seres? Por ser o fenômeno mediúnico algumas vezes muito sutil, poderia o médium, por excesso de zelo ou por desacreditar da possibilidade de contato com os extraterrestres, criar obstáculo e não lhes dar passividade?
Existiriam médiuns dessas Casas que estariam recebendo essas mensagens e se sentindo constrangidos de apresentarem sua origem? Enfim, estariam os irmãos extraterrestres buscando outros canais de comunicação, por se acharem fechados aqueles? Essas questões não podemos afirmar, mas supomos que possam estar ocorrendo. Fica a cargo do leitor o julgamento.
Que eles estão muito próximos, a nível físico, não há dúvida. Adquira a confiança de um piloto de aviação comercial e consulte-o sobre o assunto. Temos tido informações de que o avistamento de OVNIs é cada vez maior por parte desses profissionais, ao longo de todo o planeta e muito intenso aqui no sul do Brasil, sendo inclusive detectados pelos radares da defesa aérea.
Que querem afinal esses nossos irmãos? Qual a sua mensagem? Se as querem ou precisam passar através das autoridades governamentais é fácil entender porque não conseguem. Sendo esses irmãos mais evoluídos que nós, moral e intelectualmente, que absurdo haveria em se preocuparem conosco, principalmente nesta hora em que a humanidade parece caminhar para o abismo? Não é assim que procedemos com nossas crianças diante do perigo? Não lhes estendemos as mãos nas dificuldades e até lhes impedimos de caminhar sozinhas em determinadas situações?
Quanto ao serem dramáticas e aterradoras as mensagens desses seres, imaginamos ser necessário, nesta hora, não somente uma simples advertência, mas um forte grito de alerta capaz de impedir a caminhada da humanidade em direção ao caos.
Há uma obra, ditada pelo Espírito Humberto de Campos, através do médium Chico Xavier, em cujo capítulo, narra uma incursão daquela entidade ao mundo físico do Planeta Marte. Numa cidade marciana, em dado momento, vários encarnados se reúnem num tempo para orar e buscar aproximação com seus vizinhos terráqueos. Sob o influxo poderoso daquelas mentes irmanadas no mesmo nível evolutivo, desce do Alto um mensageiro celeste trazendo a seguinte mensagem:
“Irmãos, ainda é inútil toda tentativa de comunicação com a Terra rebelde e incompreensível! Debalde os astrônomos terrenos vos procuram ansiosos, nos abismos do Infinito!… Seus telescópios estão frios, suas máquinas geladas… somente agora, cogitam as instituições divinas da transição necessária, a fim de que a vida na Terra se efetive com o sentido da verdade humanidade…
Irmãos, contemplemos a Terra e peçamos ao Senhor do Universo que as modificações, precisas ao seu aperfeiçoamento, sejam menos dolorosas ao coração de suas coletividades…” (Novas Mensagens, pp. 66-67, Cap. Marte).
Também as obras “E a Vida Continua…” e “Mensagens do Astral” (Ramatis) tecem considerações sobre as provações coletivas que assolarão a humanidade terrestre. Nenhuma delas precisa datas mas dão a entender que o tempo em que ocorrerão está próximo.
Caro leitor. Preocupa-nos o silêncio dos Centros Kardecistas quanto a essa questão. Entendemos a importância dos ensinamentos evangélicos na educação espiritual e sua necessidade para impulsionar as criaturas na direção de sua renovação, mas acreditamos ser extremamente necessário o estudo e abordagem da ciência espiritualista nessas Casas.
Os chacras, os sete corpos do homem, transcomunicação, problemas da alimentação, etc, ao nosso ver, são temas importantíssimos que deveriam ser estudados nesses Centros. Afinal, Kardec incentivou o estudos de novas matérias, desde que com critério e analisadas à luz do bom senso. Temos conversado com irmãos frequentadores de Centros Kardecistas inconformados com esta postura e que buscam esclarecimentos nas obras de Ramatis, lendo-as “clandestinamente”, por não serem reconhecidas pela FEB.
De qualquer forma, reconhecemos que nossa necessidade atual é de reforma íntima, e mesmo que não acreditemos que essas previsões venham a ocorrer, devemos ter como principal preocupação nosso progresso espiritual, adotando como postura de vida os ensinamentos do Mestre Jesus, que certamente nos colocarão em condições de enfrentar qualquer situação com serenidade e equilíbrio.
Um Abraço Fraterno com votos de Paz e Harmonia,
Grupo Espírita Servos de Jesus, 22/10/00
Vitória (ES), Brasil
Facebook Comments