Aluna de um projeto de ballet da Escola Municipal João Ribeiro Soares, da Prefeitura de Porto Velho, na zona Leste da cidade, Ana Beatriz de Almeida, 10 anos, viajou nesta quarta (17), às 12h, para Joinville (SC), para participar de mais uma seletiva da Escola de Ballet Bolshoi, uma das mais importantes do mundo.

Ana estará acompanhada da sua professora Maria Rita Nascimento durante toda sua viagem e conta com o apoio da gestão municipal.
Em 2019, Ana concorreu pela primeira vez a uma das vagas na escola internacional de ballet, em seletiva realizada em Porto Velho. Entre mais de 4.600 candidatas do Brasil, Argentina e Uruguai, ela passou em duas fases, mas ficou na última.

Neste ano, Ana foi escolhida para mais uma seletiva realizada de forma remota, foi classificada em todas as fases e conquistou o direito de participar de novos testes, agora em Joinville. Se passar em todos, ganhará uma vaga para estudar por oito anos na escola de ballet Bolshoi Brasil.


De família humilde, filha de pais separados e criada pela mãe, a autônoma Catiele de Almeida, a pequena Ana Beatriz, iniciou estudos no projeto de ballet, aos sete anos de idade e vê na professora Rita Nascimento uma lição de inspiração, estímulo e dedicação.
“Para chegar a este resultado a professora foi fundamental. Ela é muito dedicada, talentosa e, neste caso, as duas (professora e aluna) fazem uma parceria perfeita”, afirma Catiele, acrescentando que sente muito orgulho da filha.

FOCO E DEDICAÇÃO

Antes da pandemia da Covid-19, Ana Beatriz e a professora treinavam três horas por semana na Escola Municipal de Ensino Fundamental João Ribeiro Soares.

Para aprimorar os movimentos, a aluna passou também a participar das aulas na escolinha de ballet da professora Rita, além de fazer aulas de pilates, movimentos e alongamentos com outra professora, também com apoio de Rita.

A dedicação delas é tanta que nem mesmo a pandemia foi capaz de interromper os treinos. “Por meio de um aplicativo, a professora passou a dar aulas de forma remota para Ana, tudo para que ela esteja preparada para mais essa seletiva”, comenta a mãe.

Catiele acrescenta que apesar da amizade, professora e aluna têm uma relação profissional, com foco voltado para o ingresso na Escola Bolshoi. A expectativa de mãe, filha e professora é que a menina realize esse sonho.

“O preparo é duro, com muito foco e disciplina. É o sonho dela, e, por isso, se dedica ao máximo, apesar da pouca idade. Ana não é forçada a nada, mas dou total apoio e a minha família também”, revela.


APOIO DA PREFEITURA

Encantada com o projeto de ballet, a mãe de Ana Beatriz faz questão de destacar o apoio de toda equipe da Escola Municipal João Ribeiro Soares e da Prefeitura de Porto Velho. “Isso é muito importante. A gente sai para trabalhar, mas sabe que o filho está ocupando o tempo com coisas úteis, com algo importante e produtivo para ele mesmo”, disse.

HISTÓRIAS SEMELHANTES

Também de origem humilde, filha de empregada doméstica, a professora Maria Rita Nascimento, que trabalha há 19 anos para o município, conta que sempre estudou ballet com ajuda da Prefeitura de Porto Velho e do Sesi.

Por conta disso, acredita muito na força de vontade das pessoas, independente da condição social e confia que Ana Beatriz alcançará o objetivo.
“Ultimamente estou mais próxima dela por causa da intensidade dos treinos. Tenho muita fé que ela vai passar nos testes. Isso é muito importante para a Ana Beatriz, para mim também como professora dela, e um grande incentivo para outros alunos”, disse.

FORMAÇÃO

Formada em Ballet Clássico, Educação Física e pós-graduada em metodologia do ensino superior, Rita chegou a estudar em Cuba, na Argentina e em outros estados brasileiros. Seus alunos, inclusive, já participaram do Festival de Dança de Joinville. Ela trouxe grandes mestres do ballet para ministrar cursos em Porto Velho, sempre acreditando no potencial dos bailarinos.

A professora viajou várias vezes para Santa Catarina levando alunos para participar das seletivas do Bolshoi, a maioria de famílias carentes. “Temos três rondonienses na Escola de Ballet Bolshoi Brasil, entre quais, dois são de Porto Velho e um deles foi meu aluno, além de uma bailarina, de Candeias do Jamary”, diz com alegria.

GRATIDÃO

Rita faz questão de agradecer à Prefeitura, que sempre a apoiou desde o início da sua carreira. “Agradeço também à primeira-dama Iêda Chaves, que sempre nos apoia e já chegou a fornecer inclusive uniforme, para minhas alunas participarem de uma apresentação no Porto Velho Shopping. Sou grata por tudo”, finalizou.

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Facebook Comments