Equipes das polícias Ambiental e Civil, Exército e Ibama checam denúncias de crime ambiental em Porto Velho

PORTO VELHO- Somente 72 horas após as denúncias formuladas pelo Mais RO, veja Aqui e Aqui,  ontem, sábado estiveram no local para verificar a situação, equipes das polícias Ambiental e Civil, Exército e Ibama.

Recorte via Googlemaps, onde indico a nascente do igarapé e o caminho que ele faz pela mata

Segundo denúncias recebidas pelo Mais RO em Porto Velho, as oficinas do 5°BEC estariam despejando dejetos de óleo na nascente de um igarapé nas imediações daquela unidade do Exército brasileiro. O óleo e outras substâncias percorrem o igarapé através do bueiro que atravessa a BR-319, contaminando peixes e vidas no seu entorno.

“A população da região está bebendo água contaminada”, disse Osmaildo Carnevalli, proprietário de uma chácara nas proximidades da unidade do exército.

De acordo com Carnevalli, “esta é uma região que não há distribuição de água tratada e portanto a população utiliza água de poço ‘amazonas’. Esta contaminação também se apresenta na água dos poços, inclusive em artesianos feitos recentemente na região”, reportou ao Mais RO.

Fotos tiradas hoje, domingo,  pela manhã

 

 

Fonte: Mais RO

Fotos: Osmaildo Carnevalli

Facebook Comments