O +RO traz hoje sua segunda entrevista. Desta vez, democraticamente, trazemos o irreverente Eduardo Lima e Silva Netto (MorpheusX, TheCrow e THE^o^CROW). Ele é um jovem empresário, proprietário da primeira loja Claro Premium Beta de Humaitá (AM). Adepto do stand up comedy, Eduardo que tem 37 anos, é mais conhecido nas redes sociais pelo seu humor escrachado e debochado. Na sua recente juventude foi um garoto estilo punk, metido a grunge, andava de skate. Viveu a era de ouro das noites de Porto Velho no Urublues, Wood River, Yes Bananas, White House e Peixe Vivo.  “Eu era alguém sem destino nenhum na vida, mas conhecia muita gente desde a mulher do cafezinho até o mais alto escalão do governo”, se descreve. “Hoje eu tenho meu objetivo, mas, perdi a minha graça, minha vida parece não ter nenhum sentido, ao não ser pagar as contas em dia e ver um nome limpo. Antes queria só curtir. Curtir cada dia como se não houvesse mais o amanhã. Noites no Posto Texaco com a galera, depois a pista do aeroporto com a turminha. Isso tudo ficou para trás… Minha amada cidade Porto Velho, aonde as pessoas iam para a praça no domingo, andar de skate, patins e bike, onde as tribos de misturavam, onde o rico era igual ao pobre, onde o pobre tinha dignidade igual ao rico, onde as ruas pouco asfaltadas, mas tinha espaço para andar de street, onde exista em uma praça o velho HALF, onde as noites eram tranquilas e não marginalizadas. Onde foi que perdi minha identidade? Hoje vivo uma vida vazia, onde posto fotos felizes, mas a saudade daquela época e daqueles amigos ainda é mais forte”. Este é o nosso entrevistado de hoje. Eduardo não tem ligações com partidos políticos. Sua religião é Deus, não torce por nenhum time de futebol e se diz eclético quando o assunto é música.

 

+RO:- Quem é Eduardo?

Eduardo: – Eu sou alguém que viveu muito intensamente, conhecendo pessoas e histórias. Hoje sou empresário, em muitos ramos, nas horas vagas sou comediante de Stand-up.

+RO:- Como você vê o governo Dilma e o que achou do governo Lula no ponto de vista político e social?

 

Eduardo: – Um governo que vai deixar um grande problema social no futuro, onde a anarquia vai superar os colarinhos brancos, onde uma grande maioria do povo vai passar por grandes dificuldades, mas cegos vão aceitar. Hoje a realidade é uma democracia onde o que parece que acontece é um fato de uma nova forma de comunismo, onde você aceita o que o governo quer.

+RO:- Como você vê o governo Confúcio Moura? Nota de zero a 10.

 

Eduardo: – Não vejo governo!!! Entendeu a piada?

+RO-Como você vê a administração Mauro Nazif? Nota de zero a 10.

 

Eduardo: – Não vou nem repetir a piada de cima!!

+RO:- Como Você a atuação da Assembleia Legislativa? Nota de zero a 10.

 

Eduardo: – Antigamente eu achava que era um cemitério, porque só tinha fantasmas… Agora eu tenho certeza!

+RO:- Como você vê a atuação da Câmara dos Vereadores? Nota de zero a 10.

 

Eduardo: – Piada repetida!

+RO:- Copa do Mundo! O Brasil deve ser campeão? Por quê?

 

Eduardo: – Copa do mundo? Isso é uma perda de tempo. Quero hospitais, estradas boas e lugares onde não existe criminalidade e não um jogo de futebol de duas horas… Eu quero algo eterno!

+RO:- Futebol regional. Por que o nosso futebol não vai para frente? Falta o quê?

 

Eduardo: – Será que falta incentivo? Acho que falta é hospital e etc… Depois coloca os pernas de pau lá dentro… Quem sabe da certo!!!

+RO:- Em sua opinião, quais deputados federais mais se destacaram? Por quê?

 

Eduardo: – Só quem está sendo cassados, presos e em alguma falcatrua. Esses se destacam bem na TV!

+RO:- Diga o nome de um candidato ao governo de sua preferência. Por quê?

 

Eduardo: – Não tem nem o que responder, porque não é um nome que comanda e sim um partido… E o partido faz o que o próprio nome fala: parte os poderes em um monte de bandidos!

+RO:- Em sua opinião, Rondônia tem liderança política nata ou ainda vai se consolidar politicamente como Amazonas, Acre, Pará, etc?

 

Eduardo: – Tem nem governo, imagina liderança política!

+RO:- O que você acha da criminalidade que assola o País, em especial Rondônia?

 

Eduardo: – Como eu disse acima, isso vai crescer aos poucos. Obrigado Bolsa Família!

+RO:- Como você vê o projeto de se aplicar 75% do royalty do petróleo em educação?

 

Eduardo: – Queria poder acreditar que pelo menos 5% disso iria mesmo para as escolas, mas sabemos que vai para outros campos ou bancos!

+RO:- Lei das cotas raciais para ingresso em concurso público e universidades. É contra ou a favor?

Eduardo: – Cotas raciais? Oxe, ainda existe racismo? O certo é cota por nota e presença na escola, garantia de futuro e a educação desde criança e não uma educação por cotas!

+RO:- Bolsa Família. É um bom programa social? Por quê?

 

Eduardo: – Como eu já disse, Bolsa Família é um tiro no pé. Hoje ninguém quer mais trabalhar, porque tem a bolsa isso e aquilo. Estamos criando um futuro de brasileiros vagabundos, onde quanto mais filhos tiverem, mais dinheiro o governo vai dar. Até onde ninguém sabe isso vai chegar. Que tal uma superpopulação e uma super falta de alimentos?

+RO:- Em sua opinião, Rondônia tem cultura? Os eventos culturais estão a contento?

 

Eduardo: – Rondônia teve cultura. Como uma velha frase que eu sempre digo quando estou em um palco de stand-up: “Rondônia teve tudo, hoje tem mais nada”!

+RO:- Como você vê a chegada (finalmente) do Teatro Estadual que inaugura em abril?

 

Eduardo: -DEMOROU! Mas vai ser inaugurada mesmo? Vai ser para um grupo aberto de artistas ou um clube do bolinha?

+RO:- Que personalidade do mundo cultural (já falecido) deveria dar nome ao teatro estadual?

 

Eduardo: – Em Porto Velho, meu pai já foi homenageado com escola, rua e uma quadra poli esportiva em seu nome. Acho que a cultura de Porto Velho deixou muito legado para trás, mas um que sempre vou me lembrar é do padre Vitor Hugo.

+RO:- Como você vê nome de escolas públicas homenagearem familiares de políticos corruptos?

Eduardo: – Como eu disse acima, meu pai foi homenageado por fazer parte da historia de Porto Velho, e ter sido um líder politico na época do militarismo. Um grande amigo de Ulisses Guimarães. Mas, como eu vejo, hoje o que comanda é quem tem dinheiro e não a honra ou caráter que muitos tiveram em Rondônia!

+RO:- O Programa Mais Médico, do governo federal, foi uma boa iniciativa do Governo Federal?

Eduardo: – O que adianta mais médicos e menos hospitais, equipamentos, enfermeiros, fisioterapeutas e etc? O que vejo que o salário de muito médicos novatos que era muito alto caiu bem, isso é bom? Não sei, mas quem sabe agora o médico preguiçoso pense melhor em trabalhar do que ficar no descanso. Nem todos são péssimos profissionais, existem destaques.

+RO:- Como você vê atuação liberal do Papa Francisco? É uma nova era da religião católica?

Eduardo: – Eu tive a sorte de conhecer o Padre antes do Papa. O que você vê é o que ele sempre foi. Ele vai ser uma nova esperança aos católicos. E, quem sabe, a todos que acreditam em Deus, porque ele sabe onde está a diferença entre o dinheiro e o poder.

+RO:- Você é contra ou a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Por quê?

eduardo eduardo222

Eduardo: – Nem contra e nem a favor. Se estão felizes, se não estão me incomodando, porque eu tenho que me incomodar com eles? Deixem eles viverem a vida deles, e eu viver a minha!

Facebook Comments