Projetos, com recursos aprovados pela Aneel, ajudam na redução do custo mensal de energia, mas não significam que a relação com a distribuidora deixa de existir

 

A Energisa concluiu a instalação do sistema de geração solar na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e na Casa de Apoio ao Doente com Câncer Irmã Rosa Gambelli, em Porto Velho (RO).. Os projetos receberam investimento de quase R$ 300 mil e foram realizados por meio do Programa de Eficiência Energética (PEE) da Agência Nacional de Energia Elétrica, que incentiva iniciativas de redução de consumo de energia.  Além das placas, os locais receberam lâmpadas LED’s e tiveram os condicionadores de ar substituídos por modelos mais econômicos. Com isso, a estimativa é que a conta de energia mensal das entidades diminua em cerca de 90%.

O coordenador de Eficiência Energética da concessionária, Thiago Peres de Oliveira, explica que a instalação de placas solares é um investimento importante para a redução do custo mensal de energia, mas não significa que a relação com a distribuidora deixa de existir. Nesse modelo, a distribuidora funciona como um seguro para períodos em que a geração solar não supre toda a necessidade de energia. “Na verdade, são modelos complementares, mas em concordância com o objetivo do desenvolvimento sustentável do Pacto Global das Nações Unidas de assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno à energia para todos”, explica.

Antônio Carlos Berssane, presidente da Apae, afirma que o novo sistema vai contribuir na administração financeira da instituição que leva educação, capacitação e assistência social aos 114 alunos matriculados. “É uma grande contribuição, porque vamos reverter o dinheiro para atender mais jovens aqui”, frisou. A instituição também conta com 27 colaboradores, entre voluntários e cedidos pela secretaria de educação.

Segundo o diretor-presidente da Energisa Rondônia, André Theobald, a empresa sabe como é importante cada real economizado no dia a dia das instituições filantrópicas e, por isso, desenvolve projetos que vão beneficiar, diretamente, à comunidade. “Apesar dos desafios impostos pela Covid-19, conseguimos concluir esse projeto seguindo todos os protocolos de segurança. Tudo feito com muito carinho para essas instituições continuem levando educação, capacitação e cuidado àqueles que mais precisam”, declarou.

A Casa de Apoio ao Doente com Câncer Irmã Rosa Gambelli há 20 anos acolhe doentes e familiares do interior do estado que buscam tratamento médico na capital. “A economia equivale a apagar a luz de mais de 40 casas por um ano, com impacto não apenas na conta, mas também na sustentabilidade dessas instituições”, concluiu Theobald.

Facebook Comments