953fe4935c5f12a687fe89f6ef0a2e71Entre os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), sobre a edição 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), chama a atenção o grande número de candidatos que tiraram a nota zero na prova de redação: 529.373. O total corresponde a 8,5% dos participantes do exame. Na outra ponta, apenas 250 estudantes obtiveram a nota máxima. Na edição de 2013, com menos inscritos (7.173.574 inscritos contra 8.721.946 em 2014), 481 tiveram nota mil e 106.742 redações com nota zero.

Mas o que leva os estudantes a irem tão mal na prova de redação? Segundo o Inep, as redações com nota zero deixaram de atender ou infrigiram os critérios de correção estabelecidos no edital. Dentre os que zeraram a redação, 217.339 fugiram ao tema “Publicidade infantil em questão no Brasil”; 13.039 copiaram textos motivadores da prova; 7.824 escreveram menos de sete linhas; 4.444 não atenderam ao tipo textual solicitado; 3.362 zeraram por parte desconectada e 955 por ferirem os direitos humanos. Outros 1.508 tiveram suas redações anuladas por outros motivos.

De acordo com o professor de língua portuguesa Marcelo Freire, do Colégio JK de Brasília, o exame de 2014 trouxe um tema mais abrangente que do ano anterior, e, com isso, muitos candidatos podem ter se perdido na condução do tema. “Ao se depararem com um tema aberto, muitos alunos foram tratar ou só de publicidade ou só da questão infantil ou mesmo tangenciaram esse assunto, o que os levou à nota zero”, afirmou. Em 2013, a prova abordou um assunto debatido quase que exaustivamente pela mídia: “os efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil”.

Fonte: EBC

Facebook Comments