A exemplo do que aconteceu, simultaneamente, em todo o país, os empregados da Caixa de Rondônia participaram, nesta quinta-feira (22), de assembleia geral virtual sobre as mobilizações em defesa dos direitos dos trabalhadores e da Caixa 100% pública. Entre essas propostas está a decretação de estado de greve e paralisação de 24 horas a partir da meia-noite do dia 27 de abril, aprovadas pela maioria dos empregados da Caixa em Rondônia, com índice de 57,14%.

“O governo Federal vem promovendo várias intervenções para inviabilizar a Caixa como uma empresa 100% pública, e por isso pretende abrir o capital das operações mais rentáveis da instituição, a exemplo do Seguridade Caixa. Esse é o momento de união dos trabalhadores e trabalhadoras, que devem estar mobilizados para barrar essa tentativa de privatização de um banco que é, sobretudo, patrimônio do povo”, avalia José Toscano, presidente em exercício do SEEB-RO.

A agenda permanente de luta dos trabalhadores também inclui o pagamento justo da PLR Social, a inclusão dos bancários no Plano Nacional de Imunização (vacinação contra a covid-19) e combate às metas desumanas.

“A paralisação é mais uma atividade que cobra respeito de Pedro Guimarães com os empregados”, concluiu o dirigente.

Fonte: Assessoria

Facebook Comments