Criança moradora de São Carlos
Criança moradora de São Carlos

O Greenpeace esteve em Porto Velho, Rondônia, para documentar a cheia do rio Madeira, que já afetou mais de duas mil famílias na região. O nível do rio continua subindo – nesta terça, 18 de março,  atingiu a marca histórica de 19,20 metros por volta das 9h30 da manhã.

A equipe esteve nos bairros mais prejudicados, onde encontrou casas submersas e conversou com famílias que tentavam salvar seus pertences. Na comunidade de São Carlos, a cerca de 100 quilômetros de Porto Velho, os moradores acompanhavam com aflição o avanço da água, que subia dia após dia. Pouco depois da visita do Greenpeace, todas as 500 famílias da comunidade tiveram que deixar suas casas.

Os moradores atingidos afirmam que as usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau têm contribuído para o agravamento da cheia, causada pelas fortes chuvas nas cabeceiras dos afluentes do rio Madeira na Bolívia – onde 60 pessoas já morreram – e no Peru.

Assista ao vídeo para conhecer a história das pessoas que estão tendo suas vidas mudadas pela cheia (assista antes um video de alerta do Green Peace):

Facebook Comments