Com a decisão tomada de não concorrer a um segundo mandato, embora deva voltar às lides políticas em 2022, o prefeito Hildon Chaves está prestes a concluir seus quatro anos no poder, em Porto Velho, com um pacote de obras poucas vezes visto na história da cidade. Está em alta, principalmente nos bairros da Capital. Seu apoio, para a eleição de quem vai sucedê-lo, poderá, portanto, ser de grande importância.

O Prefeito já avisou que não pretende apoiar nenhum dos postulantes, ao menos no primeiro turno. Mas, com 18 candidaturas postas e com pelo menos meia dúzia potencialmente com chances de chegar lá, pode ser que Hildon tenha que participar do processo mais cedo do que imaginava.

Se apoiar alguém no primeiro turno, terá pelo menos dois nomes muito ligados a ele: o do ex deputado federal Lindomar Garçon e o do ex comandante geral da Emdur, Thiago Tezzari. Dificilmente Hildon se aliaria a outros nomes, ao menos pelo quadro atual. Se um desses dois chegarem ao segundo turno, aí sim, não há qualquer dúvida, ele terá todo o apoio do atual Prefeito da Capital. Caso não chegue nenhum dos dois, não se sabe qual será a posição de Chaves.

Fonte: Blog Opinião de Primeira/Sérgio Pires

Facebook Comments