DISPUTA ENTRE ULTRA DIREITA X DIREITA DEIXA ESQUERDA SEM OPÇÃO EM PORTO VELHO

0
439
Hildon e Léo: mais atenção para o transporte público
Hildon Chaves e Léo Moraes: a esquerda sem opção
Hildon Chaves e Léo Moraes: a esquerda está sem opção

PORTO VELHO- Os partidos de esquerda perderam as eleições em Porto Velho. PT, PSOL e PSB estão fora da disputa no segundo turno das eleições municipais de 2016. A esquerda representa cerca de 100 mil votos na capital, o que certamente faria diferença para qualquer candidatura no segundo turno.

Acontece que os eleitos para a segunda fase das eleições são de partidos de direita. Melhor, de ultra direta em se tratando de PSDB, no momento representado por um empresário, o ex-promotor Hildon Chaves. Do outro lado está outro representante da direita, Léo Moraes (PTB), filho do delegado de polícia Paulo Moraes, falecido ano passado.

O PT de Porto Velho não deverá apoiar nenhuma das candidaturas por não representarem os programas defendidos pelo partido. O PSOL, idem. O PSB, do prefeito Mauro Nazif, deverá ficar neutro também porque foi duramente combatido pelas duas candidaturas remanescentes. Para onde migrarão os 100 mil votos dados à esquerda. É uma pergunta que só o decorrer das campanhas responderá. Talvez para o candidato que der uma guinada para a esquerda, defendendo pontos que estejam nos programas dos partidos de esquerda. Para as duas candidaturas será mais fácil captar os votos dados ao ex-candidato Williames Pimentel (PMDB), cerca de 35 mil. Em nível nacional o PMDB está alinhado com a direita. Os votos do ex-candidato Ribamar Araújo (PR) devem migrar para as duas candidaturas sem problemas.

Situação confortável está para as duas tendências no Rio de Janeiro onde Marcelo Crivela (PRB), que representa a ultra direita conservadora, enfrentará o ultra esquerda Marcelo Freixo do PSOL.

Da redação do MaisRO

redacao@maisro.com.br