Paulo Moura do Jipa
Foto: Sandro Brito

Ao comentar o recurso do Genus Futebol Clube que pede uma punição ao Ji-Paraná por ter, supostamente, colocado um jogador que estava irregular para jogar a partida entre as duas equipes, em jogo ocorrido no dia 28 do mês passado, quando Ji-Paraná venceu o Genus por 2 a 0, Paulo Moura, integrante da diretoria do “Galo”, disse que o Ji-Paraná não poderá ser punido com perda de pontos, o que colocaria o Genus, que terminou em terceiro colocado no returno do Estadual 2016, na disputa final contra o Rondoniense.

“Esse mesmo jogador, cujo contrato venceu no dia 25, teve o contrato renovado dia 26. O artigo 36 da CBF fala que nós temos 15 dias de prazo para inserir um jogador no BID. Portanto, ele estava regular quando entrou em campo. Inclusive, o Guajará-mirim entrou com um recurso no mesmo sentido, e a Federação, administrativamente, negou, por entender que o jogador estava regular”, explicou.

O primeiro jogo da final entre o Ji-Paraná e o Rondoniense seria realizado já na próxima quinta-feira (16), no Biancão, mas o Tribunal de Justiça Desportiva de Rondônia (TJD-RO) acatou o pedido do Genus e suspendeu a partida até que o caso seja julgado, o que ainda não tem data para acontecer.

“Nós estamos cientes que de não agimos de maneira irregular, mas vamos aguardar o julgamento crendo que a Justiça seguirá a coerência dos fatos e nos liberará para jogar as finais. Esperamos vencer as duas partidas e nos sagrarmos campeões pela décima vez do Campeonato Estadual”, finalizou Moura.

Fonte: RUL

Facebook Comments