Dicas para aproveitar a recuperação econômica e adquirir seu imóvel em Rondônia




Os moradores de Rondônia vêem nas boas expectativas para os mercados e economia em geral no ano de 2019 um cenário para comemoração, visto que o setor imobiliário na cidade se mostra estável e indicando uma retomada.

No momento da chegada das usinas hidrelétricas o preço dos imóveis teve um aumento considerável, as usinas de Jirau e Santo Antônio – que atraiu cerca de 40 mil trabalhadores para a cidade -. No entanto, apenas 5% destes trabalhadores tinham condições financeiras para adquirir um imóvel. Este fator gerou uma queda nos valores e um possível congelamento na execução de novos empreendimentos por parte das construtoras, que neste momento procuram negociar seus projetos em estoque, que continua crescendo visto em portais de imóveis à venda como o agenteimovel.com.br.

Para isso, as incorporadoras têm criado incentivos para o investidor. Em parceria com as construtoras, a Caixa Econômica Federal tem oferecido uma baixa taxa de juros no financiamento para a compra de um imóvel e as expectativas é que as taxas caiam ainda mais no decorrer de 2019.

Outra facilidade, para àqueles que são vinculados à OAB/RO, é que a Ordem anteriormente firmou um convênio com a Caixa viabilizando diversas facilidades para os profissionais que desejam adquirir a casa própria, contanto que estejam com a situação regularizada junto à entidade.

Tendo em vista a estabilidade do mercado e a facilidade na concessão de crédito para financiar um imóvel, o investidor deverá ficar atento a uma série fatores, entre os quais: O valor que poderá pagar no financiamento, visto que este não pode ultrapassar 30% da sua renda atual. Mesmo sendo possível financiar até 90% do imóvel, segundo o portal da Agente Imóvel, o ideal é analisar a possibilidade de dar uma entrada maior visando à queda dos juros e no valor das parcelas.

Certificar-se de que a construtora é idônea, pesquisando seu histórico, se possui reclamações no Procon ou na prefeitura são dicas das quais podem evitar futuros problemas na relação investidor-construtora.

Facebook Comments