Dia da Consciência Negra é comemorado de maneira especial pelos alunos da escola Lydia Johnson

0
95
Alunas participam de desfile em comemoração ao Dia da Consciência Negra


Alunos da escola estadual Lydia Johnson de Macedo participaram na manhã de ontem, terça-feira, 20, de atividades alusivas ao Dia da Consciência Negra. As ações contaram desde a decoração da escola à caracterização dos alunos, para participar das atividades.

A iniciativa envolveu todos os profissionais que atuam na escola e contou com a motivação dos professores, que se envolveram pessoalmente nas atividades e alinharam às disciplinas trabalhadas em sala de aula. Na sala de química, por exemplo, os alunos exercitaram as técnicas que aprenderam no curso de maquiagem – oferecido por meio das atividades diversificadas – fazendo pinturas em diversas partes do corpo com tinta fluorescente. “Escolhemos tinta de neon, que emite luz no escuro, uma interdisciplinaridade que nos dá exemplo, na prática, de nossas aulas de química”, garante a professora Soraia Martins.

No mesmo espaço, Natanael Almeida, 19 anos, aluno do 2° ano trouxe os desenhos de sua autoria para serem expostos no Dia da Consciência Negra. “Eu já colecionava e decidi trazer”, diz. Autodidata, Natanael desenha desde os 15 anos e diz que na escola Lydia Johnson sente liberdade para exercitar sua arte. “A escola oferece espaço para criatividade. Somos motivados pelos professores e também pela diretora”, afiança.

Participação dos alunos às atividades

E foi a partir da sala de química que Franciele Vargas, 16, venezuelana vinda de Miranda, escolhia o figurino com o qual participou de um desfile. “Acho muito legal esses eventos porque todo mundo respeita, todo mundo participa e nossos companheiros compartilham da responsabilidade uns com os outros”, diz referindo-se às comemorações ao Dia da Consciência Negra. Questionada sobre o que mais gosta na escola, Franciele garante que os alunos são felizes no espaço. “Aqui na escola não tem bullying, graças a Deus, todos os profissionais são legais e graças a eles somos muito alegres, porque eles se importam com a gente”.

Maria do Rosário Barbosa de Freitas, professora de História, afirma que em todas as atividades, os alunos são estimulados a exercitar a igualdade e combater o racismo. “Foi exatamente isso que pensamos quando elaboramos a programação do Dia da Consciência Negra”, reforça. E se entre os objetivos estava envolver os alunos, o evento teve sucesso garantido. A maioria dos alunos do ensino médio participou das ações, que contou com música, dança, poesia e desfile. “Todas com combate ao racismo, respeito à cultura e individualidade de cada aluno”, ensina a professora Maria do Rosário.

ASAS DO SABER

As atividades de cunho cultural estão entre os diferenciais da escola Lydia Johnson e contemplam o projeto Asas do Saber, que foi concebido com o objetivo de fornecer ensino integral, mas que contemple o desenvolvimento do aluno com formação profissional e atividades diversificadas. “Trabalhamos o ensino médio integral com uma nova roupagem, que são 100 dias letivos, mas que contemplam o ensino regular, uma vez que são aplicadas as 800 horas, tendo em vista que os alunos estudam todos os dias até às 15h”, explica a diretora Débora Macedo.

Outro diferencial é que a escola Lydia Johnson oferece oportunidade para alunos nivelarem a idade em relação a série que estão cursando. “Os alunos que apresentam defasagem na idade em relação à série encontram oportunidade de concluir os estudos em tempo hábil”, esclarece Sâmia Valéria, vice diretora.

Exposição dos desenhos do aluno Natanael Almeida

O projeto Asas do Saber está em seu segundo ano de implantação na escola Lydia Johnson e a diretora Débora Macedo explica que a escola já passou da fase de adaptação e que a equipe pedagógica trabalhou de maneira organizada para equilibrar as atividades diversificadas, que inclui cultura, esporte, lazer e artes marciais, com o ensino oferecido. E mais que isso, se se empenhou em atrair os alunos para estudarem em horário integral. “Quando cheguei à escola tínhamos um cenário de 80 alunos matriculados e 60 frequentes. Tivermos o trabalho de ligar para cada aluno que estava evadido, para que voltasse. Conseguimos reverter a situação e elevamos o número de alunos estudando para 170 e hoje a realidade que temos é uma lista de espera para futuros alunos que desejarem estudar na instituição”, comemora.

A direção da escola está montando a lista de espera e no início do mês de dezembro será disponibilizada a data do sorteio para as vagas oferecidas no ano de 2019. A escola Lydia Johnson fica na rua das Associações, 2899 , bairro Costa e Silva.


Texto: Mineia Capistrano
Fotos: Ésio Mendes
Secom – Governo de Rondônia

Facebook Comments