Léo Moraes diz agora que não é contra concurso público

Com um sorriso no rosto, Léo Moraes faz gol contra a população
Com um sorriso no rosto, Léo Moraes faz gol contra a população

Coube ao deputado estadual Leo Moraes (PTB) liderar a oposição com a missão de ir ao secretário Chefe da Casa Civil, pedir para o governo retirar o projeto de lei que criaria 800 cargos mediante concurso público.  Léo Moraes foi contra a realização de um concurso público, com carreira para nível superior, pagando excelentes salários, profissionalizando a máquina pública e priorizando a formação de um quadro técnico efetivo no governo. O concurso vinha sendo cogitado desde dezembro de 2013, quando os cargos foram criados, por meio de lei complementar pelos próprios deputados. Ou seja, gol contra mesmo.

Com isso, os deputados jogaram contra a população. Léo Moraes ainda comemorou nas redes sociais a retirada do projeto que supriria o Estado de profissionais para atender a demanda. “Estive reunido com o Chefe da Casa Civil e dentre os diversos assuntos, tratamos da retirada do Projeto de Lei do Executivo que tratava da criação de 800 cargos mediante Concurso Público. Agradeço a sensibilidade pela retirada e o parabenizo, pois neste momento temos outras prioridades”, postou.

Das 800 vagas,  300 seriam para o cargo de especialista em políticas públicas e gestão governamental, 200 para analistas em tecnologia da informação e técnico em tecnologia da informação.  As remunerações iniciais iriam variar de R$ 3.191,90 a R$ 16.152,98. Os vencimentos para especialistas variariam de R$ 7.713,80 a R$ 16.152,98. Para os analistas, variariam de R$ 7.173,80 a R$ 12.579,30 e para os técnicos, de R$ 3.191,90 a R$ 5.597,02.

 

Enquanto isso, a orgia de contratação de fantasmas na Assembleia Legislativa de Rondônia corre solta no Diário Oficial. Nunca se contratou tanto. Nos gabinetes de deputados não cabem nem metade dos comissionados contratados sem concurso público.

Facebook Comments