Ao discursar na terça-feira (2), durante sessão ordinária, o deputado Adailton Furia (PSD) disse que foi informado que os trabalhadores da saúde, contratados pelo governo de forma emergencial, estão sem salários há sessenta dias. Ele explicou que recebeu a denúncia de um grupo de profissionais da área que estão nesta situação.

O parlamentar explicou que espera, “o quanto antes”, uma resposta do secretário estadual de Saúde, Fernando Máximo. “Estou tentando ouvir o secretário, mas até o momento ele não me respondeu,” disse da tribuna da Assembleia Legislativa.

Acrescentou, ainda com base nas declarações que recebeu dos denunciantes, que alguns funcionários podem deixar de ir ao trabalho, mesmo estando à frente no combate ao novo coronavírus, pois não têm sequer dinheiro para o transporte.

Ele lamentou ainda a desconsideração para com os motoristas de ambulâncias, que trazem doentes do interior para atendimento em Porto Velho. De acordo com Adailton Furia, eles estão recebendo apenas meia diária e são obrigados a pernoitar na Capital para terem direito à diária integral. Isso, na avaliação do deputado, por conta de uma decisão equivocada de um procurador.

Energisa

O orador colocou em dúvida também os métodos utilizados pela Energisa, na medição do consumo de energia elétrica em Rondônia. Ele relatou o caso de uma morada humilde de Cacoal que chegou a pagar R$ 400,00 de uma conta e a Energisa teve que diminuir o valor para R$ 76,00 após perícia realizada no aparelho medidor por técnicos da Polícia Civil.

 

Fonte: ALE/RO

Facebook Comments