Deflagrada operação para desocupação de grileiros do Parque Estadual Guajará-Mirim e do “Bico do Parque”

PORTO VELHO-Teve início na última quinta-feira (17), operação de desintrusão do Parque Estadual Guajará-Mirim e do denominado “Bico do Parque”, Zona de Amortecimento da unidade, fruto de ação civil pública ajuizada em outubro do ano passado pelo Ministério Público e pelo Estado de Rondônia e tramita em segredo de justiça, razão pela qual não serão divulgadas mais informações.

A operação é conduzida pela Polícia Militar, com o apoio da SEDAM, da Polícia Militar Ambiental e da Polícia Civil. Cerca de 110 agentes do estado estão envolvidos na desocupação. A ação foi acompanhada por assistentes sociais e conselheiros tutelares do município de Nova Mamoré.

No último dia 9, foi deflagrada a Operação Bico Fechado, pela 2ª Promotoria de Justiça e pela Polícia Civil, com o apoio do GAECO/MPRO, tendo como alvo os principais líderes do grupo criminoso responsável pela comercialização ilegal de lotes no “Bico do Parque” e a subsequente invasão do local.

Entenda a questão

A Operação Bico Fechado visa desocupar uma área do Parque  Estadual de Guajará-Mirim que foi ocupada há anos por criminosos que lotearam e venderam lotes do denominado Bico do Parque . Durante o governo Bolsonaro esses criminosos ganharam força e já lutavam pela regularização da área, após ser aprovado a toque de caixa da redução da área do Parque Estadual. Esses invasores de terras nada tem a ver com MST ou LCP que Bolsonaro classifica como “terroristas”. São, na verdade, grileiros de terras, criminosos como atesta o MP-RO.

arque Estadual Guajará-Mirim — Foto: Luiz Martins/Rede Amazônica

O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha (sem partido), aprovou a lei complementar n° 1.089 que foi publicada em edição extra do Diário Oficial (Diof)  que reduz cerca de 167 mil hectares de áreas de reservas extrativistas em Rondônia. O projeto foi aprovado em duas votações realizadas no mesmo dia. Na época a aprovação foi vista como uma “legalização” de pessoas que décadas atrás invadiram terras públicas.

O Parque Estadual de Guajará-Mirim, próximo da Terra Indígena Karipuna, é a 9ª reserva mais desmatada do país. De acordo com o Instituto Socioambiental (ISA), o parque está localizado nos municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré, sendo abrigo de espécies que constam na lista brasileira ou nas listas estaduais de espécies ameaçadas de extinção, quase ameaçadas e vulneráveis.

Mais Rondônia com informações do G1 e MP-RO
Fotos: O Mamoré Agora
Facebook Comments