Ivo Cassol, político de sorte

BRASILIA- Se o senador Ivo Cassol (PP-RO) não tiver seus embargos em último recurso julgados e o acórdão referente à Ação Penal 565 liberado no DJU até o dia 31 de julho de 2018, o mesmo, pela legislação eleitoral e Regimento do TSE e STF, estará elegível para o pleito eleitoral devido o tempo entre ação no STJ e julgamento no STF. Terão se passados oito anos conforme determina a legislação eleitoral. Agendado para ser julgado no último dia 30 de maio, o julgamento da Ação Penal não aconteceu duas vezes após ser remarcada pelo STF.

Ou o senador tem sorte demais, ou alguma coisa está acontecendo nos subterrâneos do STF. Há um ano, o colunista Claudio Humberto escreveu: “O ex-governador de Rondônia Ivo Cassol (PP) já garantiu seu lugar no panteão da impunidade. Impressiona sua capacidade de beneficiar-se de manobras protelatórias na Justiça: condenado somente em 2013 por crimes de fraude em licitação entre 1998 e 2001, ele pegou 4 anos e 8 meses de prisão e a multa de R$ 201 mil, e já deveria ter perdido seu mandato, mas continua solto e exercendo suas atividades de senador”, disse o colunista mais lido do País. E segue: “A sentença de prisão de Ivo Cassol foi fixada pela relatora do caso no STF, Cármen Lúcia, mas Dias Toffoli propôs a redução para 4 anos. No regime semiaberto, como prevê sua sentença, Ivo Cassol atuaria no Senado de dia e dormiria na Papuda (foi convertida a prestação de serviços em fevereiro de 2018). Ivo Cassol torce pela extinção da sentença: afinal, os crimes de corrupção que lhe são imputados completam 20 anos em 2018”, escreveu o colunista Claudio Humberto.

Tá perto. Faltam só 52 dias para Ivo Cassol se safar da condenação. Isso é moleza para quem tem uma boa banca de advogados.

Fonte: Mais RO com CH

Facebook Comments