Defesa Civil de Porto Velho monitora nível do rio Madeira

sempedec_guajara_800px4dsc_9686_004Na última semana foi anunciado o Plano de Contingência para enchentes de 2016 em Porto Velho, em Rondônia.

O rio Madeira está sendo monitorado diariamente, 4 vezes por dia. A expectativa da Defesa Civil é que a enchente deste ano seja de nível moderado. Até o momento o nível do rio Madeira marca 11 metros.

Se o rio atingir a cota 14 metros, um decreto de alerta será emitido. As famílias que vivem na área de risco, às margens do rio, serão removidas. Se o rio passar da marca de 15 metros, vai atingir cerca de duas mil e quinhentas pessoas.

O secretário municipal de projetos especiais e Defesa Civil de Porto Velho, Vicente Bessa, diz que o município está investindo em prevenção para evitar prejuízos como na cheia histórica de 2014. A ideia é retirar as famílias da área de risco com antecedência.

O secretário também afirma que está trabalhando em conjunto com outros municípios. Três pontos de apoio foram montados nos distritos de Nazaré, São Carlos e Abunã.

 

Em 2014, durante a cheia histórica, mais de 40 mil famílias porto-velhenses foram atingidas. A enchente gerou um prejuízo de  R$ 184 milhões. Até hoje, mais de duas mil e quinhentas famílias recebem ajuda governo porque perderam tudo na cheia.

 

No ano passado, Porto Velho registrou a quinta maior enchente. 15 mil famílias foram afetadas. Os estragos da enchente dos anos anteriores ainda prejudicam Porto Velho.

 

Recentemente, houve um deslizamento de terra que atingiu o Complexo Turístico da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. Parte da estrutura ficou comprometida. Na última semana, foi feita uma intervenção na área. Cerca de cem metros cúbicos de pedras Mataco foram colocados para tentar conter a erosão.

 

De acordo com o secretário municipal de projetos especiais e Defesa Civil de Porto Velho, Vicente Bessa, essa é uma medida paliativa. Ele, que é engenheiro civil, elaborou um projeto para resolver o problema. Mas até agora não conseguiu verba para a obra, orçada em  R$ 13 milhões.

 

Não há previsão para realizar a obra de proteção do complexo turístico da Estrada de Ferro Madeira Mamoré que fica a mil metros do Rio Madeira.

Facebook Comments